ANO: 26 | Nº: 6590
30/07/2019 Segurança

Comunidade LGBTQIA+ prepara manifestação após denúncia de homofobia

Após uma denúncia de homofobia por fato ocorrido na madrugada de sábado, dentro de uma casa noturna de Bagé, onde dois jovens foram retirados da festa, segundo eles, por motivos homofóbicos, a comunidade LGBTQIA+ preparou uma manifestação. O ato será realizado hoje, a partir das 18h, na Praça de Esportes.
Em nota, os organizadores do protesto, Andressa Bittencourt e Thomás Avello Lahorgue, relataram que a manifestação visa contribuir para o efetivo acesso à Justiça, zelar pela dignidade da pessoa humana, defender a igualdade entre os cidadãos independentemente de quaisquer diferenças entre estes, bem como em qualquer ambiente.
Ainda em nota, os organizadores ressaltaram que não foi e não será realizada qualquer tipo de acusação por parte dos organizadores ou participantes do evento contra os sócios/administradores da danceteria envolvida no fato. “Nós, organizadores e comunidade LGBTQIA+, estamos preocupados e extremamente consternados com a possibilidade de sofrer agressões em via pública e/ou ambientes como bares, danceterias, restaurantes, reuniões e festas de um modo geral. Assim sendo, defendemos a apuração dos fatos, com a devida instauração de inquérito investigativo pela unidade policial competente e que as consequências sejam tomadas sem qualquer tipo de censura ou omissão por parte de qualquer envolvido”, citaram em nota.
Ainda na nota, os organizadores ressaltam ‘que é dever das autoridades, administradores de redes sociais e sociedade como um todo, a promoção do efetivo combate a homofobia, que se consolidou com a decisão do STF sobre o assunto’. “Em geral, a sociedade se encontra em ‘guerra’, todos querem estar certos e buscam fundamentar seus motivos, mas não se encontra quem queira admitir seus próprios erros. Desta feita, acreditamos que a volta à civilidade plena passa necessariamente pela capacidade do perdão. A mágoa e o rancor não podem guiar nossas atitudes. Acreditamos que, com movimentos como esse, e com a ajuda de todos os que se mostraram interessados e empáticos com a causa, possamos construir um futuro realmente melhor para todos”, concluíram.

Fato
Conforme o registro de ocorrência, os dois jovens, Diego da Silva Rosa e Bruno Munhoz Soares, informaram que estavam no local comemorando o aniversário de um amigo, momento em que eles se beijaram no interior do estabelecimento.
Rosa destaca que um dos gerentes do estabelecimento o teria empurrado porque estava dançando funk e que não poderiam dançar “daquela maneira” no local. Após este fato, Soares começou a dançar, e então todos foram retirados do local.
Ainda no registro consta que ao saírem do local, sendo expulsos, um outro homem teria sacado uma arma e ficou olhando de maneira intimidadora.
Rosa ainda relatou à reportagem que entrou em contato com a comissão de diversidade e gênero da subsecção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de Bagé. “Eles estão aguardando os dados e nos garantiram que irão pedir esclarecimentos para o estabelecimento”, comenta.
Na segunda-feira, a reportagem entrou em contato com um dos responsáveis pela festa. Ele informou que pretendia se manifestar hoje (terça-feira). No final da tarde, retornando o contato, informou que aguardaria para se manifestar.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...