ANO: 25 | Nº: 6360
03/08/2019 Segurança

Polícia prende suspeitos de homicídio, apreende drogas e carros clonados em ação integrada

Foto: Divulgação

Seis suspeitos, oriundos de Porto Alegre, estavam na cidade para distribuir droga. Quatro são naturais de Bagé
Seis suspeitos, oriundos de Porto Alegre, estavam na cidade para distribuir droga. Quatro são naturais de Bagé

Uma ação policial integrada da Polícia Civil e da Brigada Militar prendeu 10 indivíduos (um menor de idade), no final da tarde de sexta-feira, 2, em Bagé. As investigações começaram quando a polícia obteve a informação de que seis suspeitos, oriundos de Porto Alegre, estavam na cidade para distribuir droga e manter pontos de venda. Com a prisão do grupo, os agentes conseguiram identificar os suspeitos de um homicídio e de uma tentativa de homicídio, ocorrido na madrugada de sexta-feira, quando Maria Eduarda Arce Costa, 18 anos, foi morta e seu namorado foi alvejado pelas costas enquanto fugia, no bairro Getúlio Vargas.
Na tarde de sexta-feira, os policiais localizaram uma residência na Vila Brum, zona norte da cidade, em que estavam seis homens de Porto Alegre. Ao realizar a abordagem, dois deles empreenderam fuga pulando por pátios e terrenos vizinhos, sendo capturados a vários metros do local. Também havia droga na casa, além de um carro roubado e com placas clonadas. Os policiais ainda encontraram munições de calibre 9mm e 380.
Em outra residência, no mesmo bairro, os policiais encontraram três quilos de crack e um quilo de cocaína, droga suficiente para produzir mais de 30 mil porções para venda aos usuários.
As equipes continuaram as buscas até localizar o veículo utilizado no homicídio de Maria Eduarda Arce - que estava em uma residência na Vila Gaúcha. Os acusados tentaram resistir à prisão, sendo encontrado o veículo Chevrolet Prisma usado no homicídio. O carro era roubado e estava com placas clonadas. Havia droga e munições, além de outro par de placas, possivelmente trocadas depois do crime.
O titular da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), delegado Cristiano Ritta, destaca que a ação policial integrada entre a Polícia Civil e a Brigada Militar mais uma vez permitiu a prisão desses indivíduos de extrema periculosidade e que estão na cidade para praticar o tráfico de drogas, roubos e homicídios. Todos são ligados a uma organização criminosa local e recebem as ordens de dentro do sistema penitenciário.
Participaram da ação, a Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas, a 2ª Delegacia da Polícia Civil, o Setor de Inteligência e Pelotão de Operações Especiais da Brigada Militar. Um dos presos apresentou nome falso (identificando-se como Gabriel P. Silveira). No Presídio Regional de Bagé (PRB), a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) identificou o suspeito, de iniciais P.P.S. Gabriel, portanto, não foi preso na operação. A informação foi confirmada na tarde de hoje

Atualizado às 15h35

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...