ANO: 25 | Nº: 6330
05/08/2019 Esportes

Bagé completa 99 anos

Foto: Reprodução JM

Clube sagrou-se campeão gaúcho em 1925
Clube sagrou-se campeão gaúcho em 1925

O Grêmio Esportivo Bagé alcança a marca de 365 dias para o centenário hoje. Em razão dos 99 anos, o jornal MINUANO traz alguns dados referentes à história do clube, com suporte do jornalista José Higino Gonçalves. O Bagé nasceu em 5 de agosto de 1920, numa fusão do amarelo do Rio Branco e o preto do 14 de Julho. Esta é a origem do uniforme jalde-negro. Participaram da fundação Átila Vinhas, Carlos Brasil, Florêncio Lima, José Maria Parera, Leonardo Teixeira, Leoinidio Malafaia, Nélson Osório Ripalda, Paulino Brandi, Sílvio Vinhas, Valandro e Virato Azambuja. O primeiro jogo ocorreu no dia 5 de setembro de 1920, exatamente um mês após a fundação, um empate por 1 a 1, com o Gabrielense. O primeiro gol da história do clube foi marcado por Argeu.
A maior conquista jalde-negra foi o título gaúcho. Com apenas cinco anos de atividades, o Bagé sagrou-se campeão estadual, em 1925, vencendo, na decisão, o Grêmio, por 2 a 1, em pleno estádio da Baixada, em Porto Alegre. O Abelhão atuou com Júlio Amaral, Antônio e Fortunato; Misael Romero, Anibal Machado e Catulino Moreira; Leonardo, Pasqualito, Oliveira, Páschoa e João Ámaral. O Bagé também foi cinco vezes vice-campeão estadual: 1927, 1940 e 1944 (perdeu para o Internacional); 1928 (Americano) e 1957 (Grêmio). Outras taças que o jalde-negro guarda com orgulho são as Copa Centenário de Bagé (1959), Copa Governador do Estado (1974) e Copa Governador Cícero Soares (1977).
Entre as curiosidades e estatísticas, destaque para a maior goleada em clássico Ba-Gua, que foi protagonizada pelo Bagé, um 7 a 0, em 1940. O presidente Luís Carlos Osório Alcalde é o recordista de mandatos como presidente, ocupando o cargo por 19 vezes – a última gestão foi em 2007. A maior série invicta do futebol bajeense também foi do Abelhão. Entre 21 de abril de 1940 e 20 de setembro de 1942, com 32 jogos sem perder. Paulo de Souza Lobo, o Galego, foi o treinador recordista em partidas. Entre 1971 e 1980 (não de maneira consecutiva), foram 405 confrontos. O maior artilheiro foi Ramão Ballejo, com 117 gols. Em 1959, no estádio Pedra Moura, o Bagé empatou com a seleção do Paraguai, por 1 a 1.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...