ANO: 25 | Nº: 6381
05/08/2019 Fogo cruzado

Câmara realiza sessão para conceder título de cidadão bajeense ao general Hamilton Mourão

Foto: Tiago Rolim de Moura

Vice-presidente tem relação afetiva com a cidade
Vice-presidente tem relação afetiva com a cidade

A relação do vice-presidente da República, general Antonio Hamilton Martins Mourão, com a Rainha da Fronteira, deve ser reforçada, hoje, com a outorga do título de cidadão bajeense. A homenagem será formalizada pelo Legislativo, em sessão solene, agendada para as 18h. O acesso ao plenário Lígia Farinha Almeida é restrito a pessoas credenciadas. A cerimônia terá transmissão da TV Câmara.
A concessão do título de cidadão é regulada por lei específica. A legislação determina que somente será conferido 'a pessoas que se tenham distinguido em qualquer dos ramos do saber humano ou que, por sua ação, se hajam tornado merecedoras do reconhecimento da cidade'. O vereador Antenor Teixeira, do Progressistas, proponente da homenagem aprovada pela Câmara, em julho, destaca que Mourão tem relação afetiva com Bagé e que costuma mencionar a cidade em discursos e pronunciamentos.
O vice-presidente deve chegar à cidade no final da manhã. Ele vai almoçar no 3º Regimento de Cavalaria Mecanizado. O evento é fechado para convidados. A agenda completa de Mourão será divulgada ao longo do dia. Um esquema especial de segurança foi preparado para a visita do general. O plenário da Câmara de Vereadores foi vistoriado na sexta-feira. O prédio também recebeu melhorias. A Casa não realizou sessão ordinária na quinta-feira e não terá expediente, hoje, abrindo apenas para a sessão solene, no final da tarde.

Trajetória
Mourão, 65 anos, é natural de Porto Alegre. O vice-presidente ingressou no Exército Brasileiro em fevereiro de 1972, na Academia Militar das Agulhas Negras (Aman), sediada em Resende, no Rio de Janeiro, e, em dezembro de 1975, foi designado aspirante-a-oficial da arma de artilharia. Durante a trajetória militar, atuou como instrutor da Aman, cumpriu Missão de Paz em Angola, foi adido militar na embaixada do Brasil na Venezuela e comandou o 27° Grupo de Artilharia de Campanha em Ijuí.
Como oficial general, comandou a 2ª Brigada de Infantaria de Selva em São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas, e a 6ª Divisão de Exército em Porto Alegre. Foi Comandante Militar do Sul e Secretário de Economia e Finanças do Exército. Após deixar a ativa, em fevereiro de 2018, filiou-se ao Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB), iniciando sua carreira política. Nas eleições de outubro de 2018, foi eleito vice-presidente da República na chapa do presidente Jair Bolsonaro, posto que ocupa desde o dia 1º de janeiro.


Relação com Bagé
Mourão tem ligações familiares com a cidade. O vice-presidente é filho de uma bajeense (Wanda Coronel Martins) e viúvo de outra bajeense (Ana Elisabeth Rossell). O pai de Mourão, general de divisão Antônio Hamilton Mourão, comandou a 3ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, em Bagé, no início da década de 1970, durante o governo do bajeense Emílio Garrastazu Médici. Em maio de 1973, inclusive, o general Antônio Hamilton Mourão, natural do Amazonas, norte do país, também recebeu o título de cidadão bajeense.
Em sua última visita à cidade, em setembro de 2018, durante agenda de campanha, realizada no Parque de Exposições Visconde de Ribeiro Magalhães, Mourão recebeu, do prefeito Divaldo Lara, do PTB, um quadro (com a imagem emoldurada de um cavalo pisando em uma bandeira do PT, registrada durante a visita do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao campus da Unipampa) e um relho (artefato feito de tiras de couro trançadas, destinado a infligir estímulo doloroso a um animal).

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...