ANO: 25 | Nº: 6381
05/08/2019 Opinião

O desenvolvimento da aviação regional

Juvir Costella*

O mês de julho encerrou com uma vitória para o transporte aeroviário do Rio Grande do Sul. Obtivemos a confirmação da data de início dos novos voos regionais oferecidos pela Gol Linhas Aéreas, em parceria com a empresa Two Flex. A partir de 20 de setembro, a população de seis dos principais municípios gaúchos poderá embarcar em um avião para chegar a Porto Alegre.
Com as novas rotas regionais anunciadas em Bagé, Rio Grande, Santana do Livramento, São Borja, Santa Rosa e Passo Fundo, o estado passará a contar com 12 linhas aéreas que interligam, principalmente, o interior à Capital.
É o dobro em comparação à oferta atual e um avanço em nosso objetivo de encurtar distâncias, facilitar negócios e aproximar pessoas. Viagens que demoravam mais de sete horas poderão ser feitas em apenas uma hora e meia. As passagens começarão a ser vendidas já em agosto, com disponibilidade de três a seis voos por semana.
O anúncio do cronograma dos voos ocorreu menos de um mês depois do governador Eduardo Leite assinar dois decretos que flexibilizam a participação de empresas no Programa de Desenvolvimento da Aviação Regional (PDAR-RS). As medidas permitem que companhias aéreas terceirizem suas operações – a exemplo do contrato entre Gol e Two Flex – e paguem menos ICMS na compra de combustível de aeronaves. O Estado, aliás, é pioneiro na implantação de políticas públicas de incentivo a esse setor, que ainda tem muito a crescer.
Com esse caminho consolidado, mais voos comerciais deverão entrar em operação a partir de 2020. A Azul Linhas Aéreas – que já participa do PDAR-RS – também anunciou planos para oferecer rotas em Bagé e Santana do Livramento, com destino a Porto Alegre.
Em paralelo, também avançamos na modernização de nossos terminais aeroportuários. Em Passo Fundo, viabilizamos, junto ao governo federal, a ampliação do Aeroporto Lauro Kortz. O projeto está sendo finalizado e as obras devem iniciar neste semestre, com investimento de R$ 43 milhões. O aeroporto de Santo Ângelo será o próximo a passar por melhorias.
Sabemos que o fortalecimento e a integração dos diferentes modais de transporte são condições para que a economia do Rio Grande do Sul volte a se tornar competitiva. Com seriedade e visão estratégica, cumprimos o papel de atrair investimentos que tragam não apenas retorno financeiro como o bem-estar de todos os gaúchos.

*Secretário de Logística e Transportes do Rio Grande do Sul

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...