ANO: 26 | Nº: 6524
12/08/2019 Esportes

Em jogo truncado, Bagé e Cruzeiro não saem do 0 a 0

Foto: Antônio Rocha

Equipes produziram pouco
Equipes produziram pouco

Em função do Dia dos Pais, um público razoável prestigiou, na tarde de ontem, no Pedra Moura, a estreia jalde-negra na Copa Seu Verardi. E os torcedores que foram ao estádio assistiram um jogo truncado, discutido e cheio de polêmicas, mas com pouca qualidade técnica. Bagé e Cruzeiro criaram pouco e não saíram do 0 a 0. Agora, o Abelhão folga no próximo final de semana e retorna a campo somente no outro, conta o Pelotas, na Boca do Lobo.

Desfalques e desentrosamento

Já na primeira rodada, o Bagé teve que lidar com os desfalques. O goleiro Vandré, o lateral esquerdo Ednei e o volante Matheus Damasceno (também com problema de lesão) ainda não tiveram acordada a rescisão com o Inter de Lages. Portanto, seguem sem condições de jogo. E na véspera, o técnico Rinaldo Lopes Costa (Badico) também teve que lidar com a ausência do lateral direito Matheus Ferreira, machucado. Assim, escalou Talyson, pelo lado direito, e Vítor, improvisado, no esquerdo. E como o time nem completou um mês de trabalho, o desentrosamento ficava ainda mais evidente. Porém, vale lembrar, que essa situação já tinha sido prevista por Badico, justamente pela abertura tardia de intertemporada.

Mas, voltando às situações de jogo, a primeira chegada do Bagé foi aos 15 minutos. Willian Ribeiro cobrou escanteio e o alto zagueiro Emílio cabeceou. Só não fez porque um defensor do Cruzeiro tirou quase em cima da linha. Aos 28, numa atrapalhada do goleiro Wellerson, do Cruzeiro, por pouco o Abelhão não abriu o marcador. O lateral Ivan recuou e o goleiro furou em bola, levando a torcida ao delírio. Quase em cima da linha, conseguiu se recuperar e limpou a lambança.

A expectativa era de que esses dois lances pudessem animar o Bagé. No entanto, até o final do primeiro tempo, pouco construiu para abrir o placar. Na etapa complementar, o jogo, que já era trucado, ficou mais ainda. Lances ríspidos e divididas ocorriam a todo momento, faltando qualidade para colocar a bola no chão. A cada disputa de bola, os ânimos ficavam mais exaltados e o bate-boca só aumentava. Em função de várias paradas, o árbitro Jeferson Moraes deu 10 minutos de acréscimos. Num desses momentos de paralisação, o medico do Bagé, Paulo Machado, se desentendeu com o técnico do Cruzeiro, e foi expulso. No final, voltou à campo para tirar satisfação e um intenso empurra-empurra tomou conta no gramado, na saída par os vestiários. Aos poucos, a turma do “deixa disso” acalmou os ânimos fervorosos.
De resto de futebol, o Bagé até encaixou algumas situações de gol, com Fernandinho e Gustavinho, mas nada que pudesse abrir o placar. Final: 0 a 0 e muito bate-boca.

 

FICHA TÉCNICA

BAGÉ 0X0 CRUZEIRO

Copa Seu Verardi – 1ª rodada

Estádio Pedra Moura

Domingo – 11 de agosto de 2019

 

BAGÉ – Guilherme Medina, Talyson (Vinícius), Emílio, Ílson e Vítor (Souza); David, Moisés Baiano, Fernandinho, Wallan Luan (Gustavinho) e Willian Ribeiro; Rômulo (Cristiano Salib). Técnico: Rinaldo Lopes Costa (Badico).

CRUZEIRO – Wellerson, Fabrício, Benhur, Felipe e Ivan; Julio, Eduardo, Peterson (Willian), Leonardo (Pepe) e Vaguinho; João (Arthur). Técnico: Fernando Agostini.

ARBITRAGEM – Jeferson Moraes, auxiliado por Luiz Paulo Duarte Rodrigues e Dakimalo Garra Gomes. Quarto árbitro, Maurício Dalé Granato e delegado, Paulo Ricardo Soller Camacho.

AMARELOS – Moisés Baiano, Fernandinho e Cristiano Salib (Bagé); Eduardo e Leonardo, Peterson e Fernando Agostini (Cruzeiro)

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...