ANO: 25 | Nº: 6354

Divaldo Lara

divaldolara@gmail.com
12/08/2019 Divaldo Lara (Opinião)

Três importantes projetos entregues na mão do vice-presidente

Semana passada, nosso vice-presidente da República passou por Bagé. O motivo principal foi oficializar a ligação que vem mantendo, durante toda vida, com nossa terra e os laços de amor com os bajeenses. Agora, Antônio Hamilton Mourão é cidadão bajeense, em uma bela proposição do vereador Antenor Teixeira.
Da trajetória militar de seu pai, passando pelas lembranças infantis de como era proibido entrar no porão da avó, porque haveria uma raposa chamada Tulusa, as matinês das 13h30min do Avenida, as trocas de gibis na frente do Glória e o Bar do Cabral, nosso novo bajeense se emocionou ao lembrar de cada década de sua vida, todas com passagens por Bagé.
Também lembrou de uma época que havia uma aura de grande esperança na cidade e de que tudo daria certo. Ao ouvir isso, durante seu discurso, lembrei, imediatamente, quando assumimos e o espírito que nos envolve no dia a dia, trazendo, a cada dia, mais uma grande novidade de progresso para nossa cidade.
Para nós, é uma honra tê-lo como conterrâneo e poder chamar de irmão aquele que vem, junto com nosso presidente Bolsonaro, tomando as rédeas do nosso país, nesse importante momento de reconstrução.
Quando vejo as lutas e pronunciamentos neste ainda início de governo federal, associo muito com o que vivenciamos aqui há 2 anos e 7 meses atrás. O mesmo rastro de destruição, problemas semelhantes, desordem financeira e uma série de outros fatos. Tenho plena convicção de que, apesar dos grandes desafios, o Brasil está no rumo certo.
Este título de cidadão bajeense ao nosso vice-presidente representa mais do que uma homenagem. Também é uma demonstração de apoio, pois acreditamos no seu trabalho e no país mais justo que, juntos, começamos a construir. Quero agradecer a conversa que tivemos durante o almoço onde tratamos sobre importantes demandas para Bagé e tive a oportunidade de entregar três importantes projetos em sua mão.
O primeiro deles, trata das escolas cívico-militares, cuja proposição nasceu dentro do gabinete do vice-presidente, em Brasília. Quando estive lá, no início do ano, junto com nosso secretário Cléber Zuliani, recebi a dica do nosso vice-presidente para nos estruturarmos para viabilizarmos as escolas em Bagé. Saí de lá e, como bom cumpridor de missão, estruturamos duas escolas, aprovamos o projeto na Câmara e estamos bem adiantados em obras, definição de marca e uniforme.
Neste encontro, aproveitei para entregar o projeto de ampliação da Escola São Pedro, um dos locais que abrigará uma escola cívico-militar. Um projeto ousado, com construção de ginásio, pistas de atletismo e piscina térmica. Um investimento de R$ 9 milhões para torná-la referência para todo o país, levando com orgulho, mais uma vez, o nome da cidade e da região da Campanha para todo o Brasil.
Outra solicitação que fizemos foi o auxílio pela implantação de uma Faculdade de Medicina em Bagé, em uma luta antiga nossa, iniciada em 2009. Em 2013, estivemos com este sonho quase realizado, esbarrado em falhas no projeto enviado pelo governo da época. A terceira luta, que inicia agora, é pela construção do Hospital da Criança.
Finalizo parabenizando por sua conduta, pelo trabalho e sua expertise em governar, construindo estratégias com inteligência, tentando fazer o encontro de ideias em todos os momentos, mas sem evitar o confronto quando o corpo carregado pela ideologia de esquerda tenta, de forma tendenciosa, atacar o que o governo vem fazendo de bom pelo país.
Este é o caminho e estamos no seu costado! Conte conosco, nosso novo conterrâneo e irmão, General Mourão.

 

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...