ANO: 25 | Nº: 6335
14/08/2019 Esportes

Paulo Machado se manifesta sobre incidente contra o Cruzeiro

Foto: Yuri Cougo Dias

Médico alega que comissão técnica foi provocada por treinador adversário
Médico alega que comissão técnica foi provocada por treinador adversário
Desde o apito final do empate entre Bagé e Cruzeiro, por 0 a 0, o tumulto entre as equipes tem repercutido em diversos veículos de comunicação da imprensa gaúcha. E o destaque fica por conta do incidente em que o médico Paulo Machado empurra o técnico do Cruzeiro, Fernando Agostini, que desaba no chão. Devido à amplitude que o assunto tomou, Machado procurou o jornal MINUANO para expor sua versão do fato, visto que, até então, somente Agostini tinha se manifestado.
Segundo Machado, a discussão teria iniciado com treinador adversário. "Ele afastou-se por 40 metros de sua área técnica. Até pensei que ia nos servir um cafezinho ou sanduíche. Veio desferindo vários xingamentos contra nossa comissão técnica, que reclamava em relação ao excesso de cera no jogo. Ele que veio no espaço", ressalta.
Ontem, a Federação Gaúcha de Futebol (FGF) divulgou a súmula da partida. Conforme relato da arbitragem, no final do jogo, Agostini foi expulso por sair "de sua área técnica, partindo em direção ao quarto árbitro, gritando, abrindo os braços e reclamando de forma acintosa. Em ato contínuo, entrou novamente no campo de jogo o senhor Paulo Roberto Sandim Machado (que já tinha sido expulso) e atingiu com um empurrão o senhor Fernando Agostini, derrubando-o ao solo".
Machado reconhece o ato, entretanto, opina que os incidentes poderiam ter sido evitados se o treinador do Anilado não tivesse saído da área técnica. "Ainda por cima, a arbitragem deu 10 minutos de acréscimos e mais dois de complemento. Isso acirrou ainda mais os ânimos. Quero deixar bem claro que o Cruzeiro é uma agremiação que respeito muito. O clube que não merece um cidadão desses", finaliza.
Cabe ressaltar que a fala de Machado contrapõe a entrevista concedida por Agostini ao portal Peleia FC, que contém o seguinte trecho: "assim que acabou o jogo, o médico deles veio em minha direção e me agrediu com um tapa, me colocando no chão. Inclusive, já tinha sido expulso antes. Só tenho a lamentar isso. Mas saliento que, no final do jogo, a comissão técnica, os jogadores deles e o investidor vieram pedir desculpa", manifesta.

Skilo assina por dois anos

O Bagé ainda busca peças para o elenco, ainda mais que o prazo para inscrições de jogadores, na Copa Seu Verardi, encerra somente no dia 17 de outubro. Ontem, a direção confirmou mais um reforço, que se desempenhar em campo o rendimento nos clubes anteriores, pode agregar ao técnico Rinaldo Lopes Badico (Badico). Trata-se do atacante Douglas Skilo, 24 anos. Vale lembrar que no primeiro semestre o jalde-negro contratou o atleta para os mata-matas da Divisão de Acesso. Como o clube foi eliminado nas quartas de final, para o Glória, fez somente duas partidas.
Nesta segunda passagem, o diferencial é o tempo de contrato. Skilo assinou com o Bagé por dois anos. A medida já é um amostra do que a direção pretende fazer. Conforme o presidente Rafael Alcalde, os primeiros contratos para a Divisão de Acesso de 2020 devem começar a ser formalizados no final de setembro. Skilo se destacou em 2018, no Ypiranga, na época, comandado por Márcio Nunes. Ele também acumula passagens por Portuguesa-RJ e PRS (de Garibaldi).

Feijoada dos 99 anos

Neste domingo, ao meio-dia, o Bagé servirá, no estádio Pedra Moura, uma feijoada, em alusão aos 99 anos de fundação. O valor é R$ 25. Mais informações pelo telefone (53) 9 9943 8197.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...