ANO: 25 | Nº: 6335

Viviane Becker

viviminuano@hotmail.com
Colunista social do Jornal Minuano, Viviane Becker é experiente jornalista de geral e conhecida editora do caderno de variedades Ellas.
16/08/2019 Caderno Ellas

Pelo bem dos animais

Foto: Reprodução JM

Coluna Ellas fazem com amor
Por Rosane Coutinho
Fotógrafa e jornalista

 

Vivemos uma era que cada vez mais os animais estão inseridos no dia a dia dos seres humanos. É uma sensibilização tão forte, que não há como não perceber o papel que os “bichinhos” passaram a ter na sociedade. Pets, quatro patas, filhos de coração são apenas alguns dos sinônimos que eles ganharam. A grande verdade é que por trás dos cuidados, zelos e importância que cada pessoa dá ao assunto, existe uma conscientização, mesmo que lenta, de o quanto eles precisam de protetores, ou seja, pessoas que tenham voz.

É nesse termômetro que a coluna apresenta, hoje, esta edição especial de “Amor à causa animal”.

Adotar sim, abandonar nunca!

A minha convidada de hoje é a ariana Diélen Daneris Martins, que no auge dos seus 36 anos, tem na sua força de viver o amor pelos animais. Filha da dona Marlene e do seu João Carlos, ela também é mãe de 20 cachorros e quatro gatos. Voluntária do Núcleo Bageense de Proteção aos Animais (NBPA), conta que procura fazer sempre o que pode.

Protetora dessa causa, a comercial de vendas da rádio Pop Rock, tem no seu sangue o objetivo de socorrer e amparar. Quem a conhece, ou acompanha suas redes sociais, percebe o quanto ela já fez e faz neste universo de conscientização sobre os conceitos de posse e guarda responsável, bem como o controle populacional dos animais na Rainha da Fronteira. Dielen participa ativamente em todo o assunto que se refera ao voluntariado. Se tem algum animal na rua passando fome, lá vai ela pedir ajuda para esta corrente de benfeitores para conseguir alimento e um lar. Lembro uma vez, que ela comentou, como um assunto normal do dia a dia, sobre como foi aquela manhã que, ao realizar o trajeto de visitas, avistou um cachorro preso em um terreno baldio e que não pensou duas vezes e foi logo parando o carro para investigar o que ocorrera naquele local. Era uma cadela, que há pouco havia dado cria e estava ao relento, com falta de comida e água. A ariana não sossegou enquanto não conseguiu descobrir toda a história e chamar o núcleo para tomar as devidas providencias.

A entrevistada diz que, desde pequena, tem essa vibração pelos animais. Na infância, por diversas vezes, no trecho casa-escola, acabava com um bichano a tira colo. Para ela, a influência do meio é algo que teve muita importância em sua essência. Cresceu vendo no seu pai o exemplo, pois João Carlos sempre teve cães em casa. “O homem está perdido, há muito descontrole na sua existência. Acredito que possa ser por esse motivo que cada vez mais se apegam aos animais, porque não mentem e nem enganam”, reflete. Lembra, ainda, que já foi tutora de um rato, e esse foi o bichinho mais estranho que já cuidou. Teve também a Kika, uma cadela da raça linguicinha que durou cerca de 16 anos, mas evidencia que podem durar mais de 20 anos quando bem cuidados.

Adote!

Para a bajeense, seus filhos quatro patas serão irmãos dos seus babys no futuro. Ela entende que os animais foram criados pelo mesmo Deus que fez os homens e por isso devem ter o mesmo respeito. “Tenho certeza que a pessoa que adotar um animal de rua ou de algum canil nunca irá se arrepender, pois eles sempre serão gratos pelo que receberam. Eu mesma, não saberia viver de uma forma que fosse excluída do convívio com os meus”, desabafa.

Corrente do Bem

Dielen explica que quando existe amor pelos animais nada é obstáculo para ajudar. Nem mesmo a falta de recursos financeiros impede, pois para tudo há um jeito. E é dessa forma que a corrente do bem gira, um contando com o sentimento de misericórdia do outro. Ela lembra uma pedalada que encontraram, na beira da estrada Candiota/Bagé, uma cadela com filhotes. Sendo essa mamãe muito brava e arisca não conseguia chegar perto e que com a ajuda dos amigos puderam comprar uma casinha e levavam comida para a mãe e os filhotes, e conseguiram doar todos. Para a protetora dos animais indefesos, é preciso que as pessoas revejam seus conceitos, porque só ama de verdade quem não coloca limites nem descrimina, portanto o recado que ela nos deixa é: “Abra seu coração, ame mais”.

  

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias do caderno

Outras edições

Carregando...