ANO: 25 | Nº: 6401
28/08/2019 Cidade

Bagé e região estão inseridos no Mapa do Turismo Brasileiro 2019-2021

Foto: Arquivo JM

Município consta na categoria B
Município consta na categoria B

O Ministério do Turismo divulgou, nesta semana, no Diário Oficial da União (DOU), o novo Mapa do Turismo Brasileiro 2019-2021. Ao todo, 2.694 cidades de 333 regiões turísticas do País foram validadas pela pasta e incluídas na atualização da plataforma. Neste ano, os estados e municípios contaram com novos critérios, compromissos e recomendações estabelecidas pelo Ministério do Turismo, entre elas a obrigação de participação em instância de governança e em Conselho Municipal de Turismo (Contur).

De acordo com a secretária de Cultura e Turismo, Anacarla Oliveira, o Mapa do Turismo consiste num trabalho de regionalização realizado sob coordenação técnica do governo do Estado, através da Secretaria Estadual do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (Sedetur) e Prefeitura de Bagé, via Secult e Associação Pampa Gaúcho de Turismo (Apatur), que representa a governança regional. Ela explica que o trabalho do Conselho de Turismo de Bagé também foi fundamental para a inserção do município no sistema. “Através do mapa, o Ministério do Turismo pode definir onde e como potencializar o turismo regional”, disse.

O Mapa do Turismo Brasileiro foi instituído pelo Ministério do Turismo (MTur), este ano, pela Portaria 271/2019, que indica 2.694 municípios que compõem 333 regiões turísticas, a serem priorizados pela Política Nacional de Turismo, prevista na Lei 11.771/2008. Essas localidades devem receber atenção especial de planejamento, desenvolvimento e estímulo ao setor.

Instrumento criado no âmbito do Programa de Regionalização do Turismo, que orienta a atuação do MTur no desenvolvimento das políticas públicas, o Mapa é atualizado a cada dois anos. A versão anterior, de 2017, contava com 3.285 municípios, divididos em 328 regiões turísticas. As localidades integrantes foram indicadas pelos órgãos estaduais de turismo, em conjunto com as instâncias de governança regional, a partir de critérios previamente definidos.

Em 2016, o Mapa foi definido com 2.175 municípios integrantes. Por conta de forte ação da Confederação Nacional de Municípios (CNM), novo mapeamento foi divulgado em 2017, com mais 1.110 localidades. Os números foram resultado de ação da Confederação de divulgação e conscientização dos gestores locais para a importância de fazer parte do mapeamento. Agora, apesar do aumento de cinco regiões a serem exploradas, do mapa anterior para esse, 591 localidades ficaram de fora do Mapa.

Categoria

Entre os benefícios do Mapa do Turismo estão a categorização dos municípios turísticos, que vai de “A” a “E”. Essa classificação é um instrumento de acompanhamento do desempenho das economias turísticas locais. Além disso, ele subsidia a priorização de investimentos por programas do Ministério do Turismo, incluindo ações de infraestrutura turística, qualificação profissional e promoção dos destinos, observando características peculiares de demanda e vocação turística.

Os municípios com maior fluxo turístico e número de empregos e estabelecimentos no setor de hospedagem ficaram na categoria A, contabilizando 124 localidades. Nas classes B e C constam 514 e 476 municípios, respectivamente. O grupo D reúne a maioria das cidades, com 1.522; e a categoria E concentra 377 entes municipais – sem fluxo turístico expressivo e nem empregos e estabelecimentos.

No mapa, Bagé fica classificada na categoria B, e Caçapava do Sul na C. As demais cidades da região do Pampa, Aceguá Candiota, Dom Pedrito, Lavras do Sul e Pinheiro Machado constam na D.

Alerta
A CNM destaca que a inclusão no Mapa do Turismo não significa que o trabalho está concluído, mas trata-se de um bom indicador de competitividade na captação de recursos federais. O caminho até transformar seu atrativo em produto turístico e o município em destino turístico é maior. É importante que o gestor municipal reconheça a importância de inventariar as potencialidades e gargalos para organizar o turismo como uma atividade econômica.

Além da necessidade de o município ter um órgão de turismo em atividade e Conselho Municipal funcionando, o novo mapa adotou outros critérios obrigatórios para a participação na plataforma: orçamento próprio destinado ao turismo e possuir prestadores de serviços turísticos de cadastro obrigatório registrados no Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur), do Ministério do Turismo.

O novo Mapa do Turismo está disponível para consulta no site www.mapa.turismo.gov.br e conta, ainda, com a emissão de certificado digital para os municípios que o compõem. A certificação é uma maneira de comprovar que o município está inserido no Mapa e faz parte do rol de 2.694 destinos brasileiros que trabalham o turismo como política de desenvolvimento econômico e geração de emprego e renda.

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...