ANO: 25 | Nº: 6330
06/09/2019 Campo e Negócios

Emater de Bagé capacita extensionistas sobre aplicação de defensivos

Foto: Nadine Posqui / Especial JM

Proposta é ir além da aplicação correta, trabalhando o sistema de produção e práticas como rotação de culturas
Proposta é ir além da aplicação correta, trabalhando o sistema de produção e práticas como rotação de culturas

Nesta semana, entre os dias 3 e 5 de setembro, no Escritório Regional da Emater/RS-Ascar de Bagé realizou uma Capacitação Técnica de Tecnologia de Aplicação de Defensivos Agrícolas. O curso foi voltado aos extensionistas que atuam nos municípios onde existe área expressiva de soja.
A Emater/RS-Ascar, junto à Urcamp e à Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), foi responsável por promover as atividades. As aulas teóricas e práticas foram ministradas pelo professor do curso de Agronomia da Urcamp, Paulo Ebert. O Escritório Regional de Bagé tem uma meta de capacitar 640 produtores rurais e aplicadores de defensivos agrícolas para atender as Instruções Normativas vindas da Seapdr, portanto, é necessário capacitar os técnicos para que o conhecimento possa ser repassado.
Na terça-feira, foi feita a abertura da capacitação pelo gerente regional da Emater/RS-Ascar, Eloí Pozzer, e pelo gerente adjunto regional, Rodolfo Perske. Em seguida, a fiscal estadual agropecuária da Seapdr, Michelle Gomes, fez uma apresentação, tratando sobre o uso de agrotóxicos hormonais, com dados sobre coletas feitas no ano passado. Logo após, o professor Paulo Ebert deu início a parte teórica do curso, que se estendeu na manhã seguinte, falando sobre as características de uma pulverização, as influências das variáveis climáticas, os condicionantes para a redução dos riscos e a decisão técnica para conciliar aplicações eficazes e ao mesmo tempo seguras.
Já na quarta-feira, durante à tarde, os extensionistas participaram de uma aula prática na propriedade de Carlos Campagnol, onde foi feita a regulagem do pulverizador, com vários cálculos e simuladores. A atividade consistiu em verificar a determinação da velocidade da aplicação compatível com o terreno, além de checar a altura da barra em relação ao alvo, fazer a avaliação da pressão e, o mais importante, comparar os efeitos das diferentes pontas de aplicação na qualidade da pulverização e nos riscos da deriva.
Ontem, então, ocorreu uma revisão dos assuntos que foram abordados nos dias anteriores, além de terem sido sanadas as dúvidas dos técnicos. Ao final, a meta foi distribuída entre os escritórios municipais. Nos próximos dias, um grupo de seis técnicos participantes irá se reunir para montar o curso que será desenvolvido pela Emater/RS-Ascar aos produtores e aplicadores interessados.
O curso terá carga horária de 16 horas e irá gerar duas visitas, onde os técnicos farão vistorias nos equipamentos utilizados pelos produtores, indicando e recomendando correções para a correta aplicação dos defensivos. Depois, será emitido um certificado ao produtor e aplicador, para certificar que estão capacitados e regulares na atividade. A proposta é ir além da aplicação correta, trabalhando o sistema de produção e práticas como rotação de culturas, manejo de inverno e conservação do solo.
Para o professor Paulo Ebert, a Emater/RS-Ascar representa um importante meio de capacitação, por sua extensão territorial e pelo número de agentes de extensão que possui. "A Emater possui uma condição de suma importância que é a imparcialidade nas orientações, ou seja, é uma instituição que repassa a informação técnica destituída de natureza comercial imediata, focando no desempenho produtivo do produtor rural, na segurança das aplicações e na sustentabilidade", ressalta.
Ao longo da capacitação, estiveram presentes para acompanhar o treinamento, os fiscais estaduais agropecuários da Seapdr, Luíis Felipe Martins, Jean Pierre Machado e Michelle Gomes, o técnico do Núcleo de Desenvolvimento Agropecuário do Escritório Central da Emater/RS-Ascar, Carlos Gabriel dos Santos, a coordenadora do curso de Agronomia da Urcamp, Eliane Silveira e o professor do curso de Agronomia da Urcamp, Fernando Menezes.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...