ANO: 25 | Nº: 6335
11/09/2019 Segurança

Anuário da segurança pública indica aumento de 40,5% de feminicídios no RS

O número de feminicídios aumentou 40,5%, de 2017 para 2018, no Rio Grande do Sul. A elevação é 10 vezes maior do que a média nacional, que foi de 4%, segundo dados do Anuário de Segurança Pública, divulgados ontem.

O Estado alcançou quase 10% dos casos de todo país, ficando apenas atrás de Minas Gerais e São Paulo, que são populações que têm o dobro e o quádruplo de pessoas, respectivamente, do que do RS.

Segundo o levantamento, foram registrados 117 feminicídios no RS, em 2018, sendo um em Bagé. Em 2017, foram 83 casos no Estado e nenhum na Rainha da Fronteira.

Perfil no Brasil

Em relação a raça/cor, 61% são mulheres negras, 38,5% são brancas, 0,3% indígenas e 0,2% amarelas. Quanto à escolaridade, 70,7% tem apenas o Ensino Fundamental, 21,9% o Ensino Médio e 7,3% o Ensino Superior.

E quanto ao vínculo com o autor do crime, são 88,8% companheiro ou ex-companheiro, 9,4% outro vínculo, 1,3% parente e 0,5% conhecido da vítima. O local da morte é 65,6% na residência da vítima, 22,2% via pública e 12,2% outros locais.

Homicídios

Quanto ao número de homicídios dolosos (com intenção de matar), o Rio Grande do Sul teve redução superior a 21%: de 2.970 em 2017, para 2.355 em 2018. Em Bagé, foram 17 homicídios em 2017 e 13 em 2018, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública do RS.

Casos de latrocínio e lesão corporal seguida de morte também tiveram queda no Estado ao longo do período, seguindo a tendência geral no país.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...