ANO: 25 | Nº: 6335
11/09/2019 Região

Grupo francês deve investir em fábrica de pellets projetada para Pinheiro Machado

Foto: Alexandre Farina/Especial JM

Detalhes de empreendimento foram apresentados, ontem, ao governador em exercício
Detalhes de empreendimento foram apresentados, ontem, ao governador em exercício
Os empresários Luis Eduardo e Guilherme Batalha, criadores da BrasPell, foram recebidos pelo governador do Estado do Rio Grande do Sul em exercício, o vice-governador Ranolfo Vieira Júnior, ontem pela manhã, para atualizar o Executivo gaúcho sobre o andamento do projeto que prevê a construção de uma fábrica de pellets em Pinheiro Machado. O encontro também foi acompanhado por representantes da Albioma, empresa francesa que será a primeira cliente da futura indústria.
O empreendimento tem investimento previsto de R$ 1,5 bilhão e já encontra-se com a licença de instalação em fase final de elaboração, o que aproxima ainda mais a região da Campanha de visualizar a obra. De acordo com a BrasPell, as obras iniciarão ainda no primeiro semestre de 2020 e devem ocupar uma área de 140 hectares. O projeto ainda contempla melhorias na ferrovia, que corta a propriedade, no terminal portuário e também em uma usina termoelétrica que abastecerá as dependências da indústria. O excedente energético produzido será redirecionado para o sistema elétrico nacional. O produto oriundo da fábrica, um biocombustível granulado produzido a partir de partículas de madeira, é usado essencialmente para alimentar aquecedores, lareiras ou serpentinas.
A estimativa da empresa é de que em torno de mil empregos diretos sejam gerados dentro de um prazo de dois anos, visto que esses granulados resultantes do processamento de madeira de florestamento serão exportados para países da Europa, Japão e Estados Unidos, gerando assim uma maior demanda e, consequentemente, maior necessidade de mão de obra.
Guilherme Batalha explicou que, na primeira fase, serão produzidas 900 mil toneladas por ano de pellets, envolvendo 300 produtores, "que terão renda fixa e garantida". Mas a expectativa é de que, em 10 anos, a capacidade chegue a 7,2 milhões de toneladas. Para isso, além da região de Pinheiro Machado, outras três plantas de "lavouras de madeira" deverão ser iniciadas em São Borja, Alegrete e Rio Grande. "Queremos criar aqui, no RS, a maior fábrica de pellets do mundo", afirmou Guilherme Batalha, que é CEO da BrasPell.
O evento também reuniu o secretário do Meio Ambiente e Infraestrutura, Artur Lemos Júnior, o secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rubens Bender, e o deputado estadual, Ernani Polo (PP), responsável por mediar a reunião.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...