ANO: 25 | Nº: 6335
11/09/2019 Cidade

HU sediará cadastro de doadores de medula óssea na sexta-feira

Foto: Tiago Rolim de Moura

por Ianca Ferreira
Acadêmica de Jornalismo da Urcamp

Nesta sexta-feira, 13 de setembro, acontece, em Bagé, o cadastramento de pessoas que desejam ser doadoras de medula óssea. A campanha é uma iniciativa do Hemocentro Regional de Pelotas (Hemopel) e será realizada no Hospital Universitário da Urcamp, das 9h às 12h.
Para integrar o processo, é necessário, basicamente, coletar uma amostra de sangue e preencher a ficha cadastral. De acordo com Adriana Mello, assistente social responsável pela captação de doadores, após o cadastro, os dados dos doadores são disponibilizados no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome). "Quando o sistema encontra um paciente compatível com o doador, eles entram em contato para colher uma nova amostra e confirmar a compatibilidade", explica.
O tratamento de medula óssea pode beneficiar no combate a cerca de 80 doenças, entre elas diversos tipos de leucemias. A compatibilidade de medula é determinada pela genética. Na atualidade, a espera pela doação pode durar meses ou até anos.


Quem pode doar

Para ser um doador de medula óssea é necessário ter entre 18 e 55 anos, não ter doença infecciosa ou incapacitante, não apresentar doença neoplásica (câncer), hematológica (do sangue) ou do sistema imunológico.
Conforme dados oficiais do Redome, em apenas 25% das famílias brasileiras é possível encontrar o doador ideal, nas outras 75% é necessário identificar um doador a partir do registro de voluntários.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...