ANO: 25 | Nº: 6335

Luiz Fernando Mainardi

luiz.mainardi@al.rs.gov.br
Deputado Estadual
11/09/2019 Luiz Fernando Mainardi (Opinião)

O PT é para todos

No final de semana que passou, houve eleições internas no PT para eleger suas novas direções municipais e os delegados que escolherão os diretórios e presidentes estaduais e nacional, em congressos que acontecerão em outubro e novembro próximos. Quando entrego esse artigo, ainda não foi possível computar todos os votos, mas a previsão é de uma participação de quase 400 mil filiados em todo o Brasil.
Gostando ou não gostando do PT, é preciso reconhecer que o partido, apesar de todos os ataques que vem sofrendo, mantém forte base política e social no Brasil inteiro. E forte capacidade, também, de mobilizar seus apoiadores, inclusive para os debates e definições internas, o que demonstra vitalidade e densidade de conteúdo político e programático.
Evidentemente, que o PT não pretende ser o único partido do campo popular e democrático. Quem acompanha a política brasileira, gaúcha e bageense sabe que o PT sempre foi um partido disposto a compartilhar, dividir, dar as mãos a outros partidos para a construção de uma sociedade mais justa, mais tolerante e mais democrática, tanto no sentido político quanto econômico.
É assim que se formos comparar os governos do PT com os outros, vamos nos dar conta de que as coisas boas para o povo – coisas simples mas importantes, fundamentais até, como a casa, a comida, o salário, a saúde e a educação públicas –, acontecem mais quando o PT está governando, ou diretamente ou fazendo parte de uma frente com outros partidos.
Vejam, por exemplo, os governos nacionais do PT. Foram nesses governos que se iniciaram programa como o Bolsa Família, o Minha Casa Minha Vida, o Prouni (que concede bolsas para jovens universitários de baixa renda). Foram nesses governos que o salário mínimo cresceu mais do que a inflação, que houve maior oferta de empregos, que as universidades públicas se expandiram, impactando as economias dos municípios, como aconteceu aqui em Bagé com a Unipampa, etc, etc.
Pegue os governos estaduais do PT, de Olívio e Tarso Genro, e vamos ver a mesma coisa. Quando professores e brigadianos tiveram os seus maiores reajustes salariais nos últimos 30 anos? Quando foi implementado o Orçamento Participativo para definir os investimentos do Estado? Quando o sistema público de saúde começou a receber o investimento de 12% do orçamento do Estado, algo obrigatório, mas que apenas dois governos cumpriram até agora? Façam essas perguntas, pesquisem e vão ver que tudo isso foi lá nos governos do PT.
E aqui em Bagé? Já fizeram essa comparação? A gente até entende que uns poucos, muito ricos ou que têm muito patrimônio, não gostem do discurso (e da prática) do PT de que as coisas têm que ser melhor repartidas no Brasil, inclusive nos estados e nos municípios. Mas esses são muito poucos em todos os lugares.
A maioria do povo sabe o que precisa. E sabe, por experiência própria, que desde o seu início, lá na década de 80 século passado, o PT sempre se preocupou em defender os interesses dos que mais precisam. E quando está no governo, responde às necessidades dos que estão mais necessitados do apoio do poder público.
Vejam, o governo de Bolsonaro, com todos os males que está causando ao Brasil, e as denúncias que estamos vendo todos os dias sobre as injustiças que marcaram os processos contra o Lula são uma demonstração prática disso que estamos dizendo. Prenderam Lula para que ele não pudesse concorrer. Mesmo assim, tiveram que criar um ambiente de muitas mentiras, as famosas fake News, para ganhar a eleição do candidato do PT, Fernando Haddad. E tudo para quê? Para tirar a aposentadoria dos mais pobres, para cortar os investimentos em educação e saúde, para acabar com a fiscalização ambiental, para vender o patrimônio público, para arrochar o salário dos trabalhadores.
Agora, está muito claro o que queriam e ainda querem. Está desmascarada o sentido político das ações dos procuradores de Curitiba, liderados que foram por Moro para impedir Lula de concorrer. Por isso, está evidente, Moro ganhou um ministério. Os procuradores mentiram, cometeram crimes e articularam para impedir o governo do PT e eleger Bolsonaro. Bolsonaro entrou e iniciou um governo cujo único objetivo é destruir o que foi feito nos últimos 13 anos (antes de Temer) de ganhos e benefícios para o povo brasileiro.
A ficha tá caindo e quase todo mundo já percebeu: o antipetismo é só para alguns. Mas o PT é para todos.

Líder da bancada do PT na ALRS

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...