ANO: 25 | Nº: 6383
14/09/2019 Cidade

Distribuição da chama crioula dá início aos festejos Farroupilha em Bagé

Foto: Tiago Rolim de Moura

Centelha foi trazida de Candiota
Centelha foi trazida de Candiota

Uma prática que se repete desde 1947, no Rio Grande do Sul, desde que o Grupo dos 8 retirou uma centelha da pira da Pátria e conduziu do Parque Farroupilha até o Colégio Júlio de Castilhos, iniciando um movimento de resgate e preservação dos costumes gaúchos, foi revivida, sexta-feira, pelos tradicionalistas em Bagé. A distribuição da centelha Farroupilha deu início aos festejos da semana que encerra no dia 20 de setembro. A atividade é uma das mais importantes do calendário tradicionalista gaúcho.

Este ano, a centelha foi trazida de Candiota, por um grupo de cerca de 30 cavalarianos da Associação Rainha da Fronteira. A chama chegou em Bagé por volta das 10h, quando os integrantes da Associação participaram de um almoço, no CTG Prenda Minha.

De acordo com um dos integrantes da entidade, João Carlos Pinheiro, de 71 anos, que participou de todas as cavalgadas em busca da chama há mais de 30 anos, mesmo sendo um percurso curto, o grupo enfrentou muitas intempéries. Eles saíram de Bagé no domingo e receberam a centelha na terça-feira, no Marco da Batalha do Seival.

A chama chegou no Parque do Gaúcho por volta das 15h. No local, ocorreu uma solenidade e a centelha foi acesa pelo vice-prefeito Manoel Machado, o coordenador da Semana Farroupilha Mário Brondani; o patrono Dom Gílio Felício e a primeira prenda do município Karolaine Simões. Logo após, uma bênção foi realizada por Felício e houve a distribuição da centelha para 44 entidades tradicionalistas que estavam no local. A partir deste sábado, representantes de CTGs e PTGs começam as festividades, com a ronda da chama em cada entidade.

Preparativos

Algumas entidades e comércios começaram a montar acampamentos no Parque do Gaúcho. Conforme o coordenador do local, Jorge Machado, a estrutura recebeu pintura, troca de lâmpadas e roçada para receber os visitantes. Um rodeio também teve início.

As primeiras entidades a se instalarem no Parque foram os PTGs Porteira da Amizade e Palanque do Rio Grande, ambas do bairro Ivone. O grupo montou acampamento com expectativa de tempo bom durante o final de semana. A patroa do Porteira Aberta, um dos mais recentes piquetes de Bagé, com cerca de um ano, afirmou que não irão faltar comidas campeiras e tertúlias livres no espaço. “Receberemos visitas de escolas”, adiantou.

O comerciante Guilherme Ribeiro Oliveira também aposta no evento. Pela primeira vez, ele instalou um comércio de alimentos no local com expectativa de boas vendas durante a festa. “Gosto do tradicionalismo”, frisou.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...