ANO: 25 | Nº: 6399
14/09/2019 Segurança

Em oito meses, homicídios reduzem no Estado e aumentam em Bagé

As quedas generalizadas nos indicadores criminais do Rio Grande do Sul se acentuaram. Em todo o Estado, de janeiro a agosto de 2019, comparado com igual período do ano passado, quase 400 vidas foram preservadas, com o número de homicídios caindo de 1.631 para 1.234. Só no mês passado, a redução de assassinatos no RS chegou a 40%, de 196 no mesmo mês do ano passado para 117.

Em Bagé, porém, a situação é diferente. No ano de 2018, de janeiro até agosto, de acordo com dados das estatísticas da Secretaria de Segurança Pública (SSP), foram registrados sete homicídios. Já este ano, até o mês de agosto, foram registrados 10 mortes violentas.

A divulgação dos indicadores foi feita pelo governador em exercício, o vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, na abertura da reunião da Gestão Estatística em Segurança (Geseg) – ciclo mensal de avaliação dos índices de criminalidade nos 18 municípios priorizados pelo programa RS Seguro –, realizada no início da tarde de quinta-feira passada, no Palácio Piratini.

Os números, porém, não estavam atualizados no site da SSP. Ao ser questionada pela reportagem do MINUANO, devido à divergência de informações, a assessoria de imprensa do órgão relatou que, de fato, não foi feita a alteração no sistema em relação a dois casos ocorridos em Bagé neste ano, que, segundo a informação da SSP, inicialmente, foram registrados como tentativa de homicídio: óbito de Reginaldo Almeida de Oliveira, ocorrido em junho; e Luís Alberto Vieira Ferraz, morto em julho. Ainda, conforme a nota, já foi solicitada a alteração para a 1ª Delegacia de Polícia Civil. Foi adiantado que a planilha será atualizada.

De acordo com os dados divulgados por Ranolfo, o resultado também é positivo em relação aos latrocínios, cuja soma baixou pela metade na capital, de 10 casos em igual intervalo de 2018, para cinco desde o início de 2019. No Estado, a queda no acumulado nos roubos com morte chegou a 28,8%, caindo de 66 ocorrências para 47. Na leitura isolada de agosto, o número se manteve estável no RS, com oito casos tanto neste ano como no anterior, e em baixa na capital, de duas mortes para uma. Em Bagé, não foi registrado latrocínio, este ano, enquanto foram registrados dois em 2018.

 

Violência contra a mulher diminui

A luta por respeito e igualdade, somada às políticas públicas de repressão e prevenção à violência contra a mulher, sinalizam uma reversão de um cenário preocupante para as gaúchas. Enquanto o 13º Anuário Brasileiro da Segurança Pública, divulgado pelo Fórum Brasileiro da Segurança Pública, na terça-feira (10/9), mostrou que os feminicídios no Estado cresceram 40% em 2018 no comparativo com o ano anterior – 10 vezes mais do que o percentual no País –, o índice mais atualizado de 2019, acompanhado pela SSP, mostra redução nas mortes de mulheres em razão do gênero.

Bagé também registrou redução no número de feminicídios, não ocorrendo nenhum este ano, contra um no ano passado. Em relação ao número de estupros, foram registrados, em 2018, nos primeiros oito meses, 13 estupros. Já neste ano, até agosto, foram 12. Em relação a ocorrências de lesão corporal, foram registrados 161 em 2019 e 200 no mesmo período de 2018. O número de registros de ameaças foram 297 este ano e 347 no ano passado.


 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...