ANO: 26 | Nº: 6573

Marcelo Teixeira

marceloct@ymail.com
Advogado e professor universitário - Urcamp
14/09/2019 Marcelo Teixeira (Opinião)

Time desfalcado

Na última quarta-feira, 11 de setembro de 2019, o nosso Técnico o tirou do time. Já tinha sentido a falta dele no sábado anterior, quando ele não participou da última partida, mas jamais imaginei que ele sairia do time assim tão abruptamente.

Estou me referindo ao Pastor Norberto Dutra, que era colunista da página sobre religião, aqui no MINUANO, e que faleceu nesta quarta-feira, deixando o time de colunistas desfalcado. Apesar de jogarmos nesse mesmo time, não o conhecia muito e, pessoalmente, só assisti a um matrimônio celebrado por ele na igreja Assembléia de Deus.
Confesso que não li todos os seus textos, mas li muita coisa boa dele e dos seus companheiros da página sobre religião, criada e mantida pela editoria do MINUANO em uma iniciativa louvável pelo ineditismo e ecumenismo.
Assim, mesmo não sendo próximo, nem sendo leitor muito assíduo de suas colunas e não pertencendo a mesma igreja, acreditávamos no mesmo Deus e líamos, em essência, a mesma bíblia. E isso basta para lamentar o seu falecimento, pois era um evangelizador, levando a Palavra para todos, indistintamente. E uma pessoa assim sempre faz falta para a sociedade, sobretudo nestes tempos em que mais importante que o desarmamento dos cidadãos é desarmar os espíritos sempre dispostos a reagir furiosamente contra qualquer coisa que não seja de seu agrado. Nestes tempos em que, em nome de um Estado laico, combatem valores cristãos pelo simples fato de serem cristãos, ao mesmo tempo em que não colocam nada no lugar, criando um vazio que dá espaço e oportuniza múltiplos conflitos que acabam, inclusive, encorajando o questionamento ou afronta à própria autoridade estatal.
Toda vez que ouço críticas sobre o poder desagregador das religiões que provocaram ou justificaram conflitos e guerras santas, argumento que muitos desses relatos fazem referência a um passado distante ou a locais distantes onde a vinculação entre a religião e a política foi ou é nociva à sociedade como um todo. Não dá para negar, no entanto, esse perigoso potencial das religiões.
Contudo, aqui no ocidente democrático e civilizado, herdeiro da tradição judaico-cristã, via de regra, as religiões só querem e pregam o bem, o amor recíproco e a paz de Cristo. Ainda que aqui ou ali vejamos alguns excessos de crentes mais radicais, alguns fiscais da fé hipócritas e alguns vendilhões do templo, no geral, todas as religiões e seus fiéis são pessoas do bem, que fazem e querem o bem dos outros, ou seja, não fazem mal a ninguém e, assim, fazem falta ao mundo quando o deixam.
Que as sementes que o pastor Norberto Dutra plantou ao longo do seu pastoreio floresçam e deem muitos frutos para honra e glória de Deus. Descanse em paz!

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...