ANO: 25 | Nº: 6403

Divaldo Lara

divaldolara@gmail.com
16/09/2019 Divaldo Lara (Opinião)

A educação começa nos pequenos

Nossas escolas deram show na avenida Sete de Setembro, no dia 7. A bela caminhada cívica, que a cada ano apresenta novidades, é o resultado de um trabalho contínuo com e para os nossos jovens, que me enche de orgulho.
Nosso primeiro ano de governo levou para a avenida, junto às escolas, os escritores  bajeenses. Muitos não sabem, mas o desfile, além de ter sido uma homenagem aos consagrados na Literatura, era, também, a apresentação de um trabalho realizado dentro de sala de aula, onde os escritores e alunos trocaram experiências de como produzir peças literárias. Dessas duas experiências, ainda nasceria, naquele ano, a “1ª Antologia”, um livro escrito totalmente pelos alunos, inclusive com o desenvolvimento da ilustração da capa.
Chegou  2018 e o Antologia ganhou o segundo volume. Dessa vez, os alunos que haviam escrito a primeira edição, foram convidados a lançar e autografar a obra na principal Feira do Livro do Estado, realizada em Porto Alegre.
Claro que para o segundo ano de governo, a secretaria municipal de Educação e Formação Profissional (Smed) traria mais uma novidade e, dessa vez, levou os cantores e compositores para dentro das escolas e para a avenida, na caminhada de Sete de Setembro. No mesmo feitio do livro, os alunos foram para um estúdio de gravação e lançaram o CD “Bagé em Cantos”, que  traz composições dos nossos bajeenses interpretadas pelos pequenos, que soltaram a voz.
Aqui, também, vale ressaltar outro trabalho, que me comove muito, o projeto  Orquestra Jovens do Pampa. Nele, os alunos dos bairros mais distantes passaram a ter contato com instrumentos eruditos e também participaram do CD com uma composição própria e se apresentam nos eventos produzidos pela prefeitura.
Para este ano, qual seria a novidade? Os artistas plásticos, que foram homenageados no projeto “Bagé em Telas” e também vêm desenvolvendo um belo trabalho de descoberta de talentos e de sensibilização através das artes, nas escolas municipais. Na avenida, até um painel em grafite foi pintado, ao vivo, durante a caminhada. Claro que, neste ano, também haverá uma recordação material dessa experiência, mas guardarei  a novidade para ser anunciada mais adiante.
O conjunto de todas essas experiências, o aumento no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) já no primeiro ano, com a melhor avaliação dos últimos 10 anos; a abertura do maior Centro Educacional da Região do Pampa, o Mélanie Granier; o aumento em 724 novas vagas; a revitalização de 28 escolas fez com que nossa Educação fosse selecionada para representar o Brasil inteiro, iniciando por aqui, a abertura das escolas cívico-militares.
Quando estive em Brasília, no início do ano, e esse processo estava iniciando, imediatamente voltei para Bagé e iniciamos todos os procedimentos necessários para sair na frente, com a realização de audiências públicas, com a aprovação da lei na Câmara de Vereadores e a elaboração de um projeto audacioso, para transformar a estrutura do Colégio São Pedro, e torná-lo referência para todo o País. O projeto, entregue ao vice-presidente Mourão, quando esteve aqui, recentemente, para receber o título de cidadão bajeense, ainda está em análise, mas com boas perspectivas.
Todo esse conjunto de ações, é planejado e pensado no ensino adequado e qualificado dos pequenos, para que possam ocupar com satisfação, mais adiante, as vagas tão almejadas nas universidades.
Parabéns a todas as equipes da Smed.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...