ANO: 25 | Nº: 6403
23/09/2019 Cidade

Campanhas em municípios da região podem impulsionar voos diários em Bagé

Foto: Tiago Rolim de Moura

Funcionários da Infraero realizam checkin de passageiros do primeiro voo
Funcionários da Infraero realizam checkin de passageiros do primeiro voo

O desenvolvimento da região é uma das metas dos voos regulares, realizados através da parceria entre Two Flex e Gol, que tiveram início na sexta-feira. A aeronave Cesna 208B Gran Caravan já está no seu terceiro dia de operação, partindo da Rainha da Fronteira para Porto Alegre. O objetivo agora é impulsionar a utilização do serviço.
Na sexta-feira, a solenidade de retomada das atividades comerciais no Aeroporto Internacional de Bagé - Comandante Gustavo Kraemer iniciou às 6h30 e foi marcada pelo voo inaugural da linha entre Bagé e Porto Alegre. A data representa um marco, visto que as últimas viagens comerciais acontecerem na década de 80.
Os passageiros que embarcaram na aeronave foram recepcionados pela Orquestra Jovem do Pampa. Os nove lugares disponíveis foram ocupados. Entre os passageiros estava o secretário municipal do Desenvolvimento Econômico e Ciência, Tecnologia e Inovação, Bayard Paschoa Pereira. “Fizemos um voo tranquilo e estamos realizados com esta grande conquista para a nossa cidade”, disse.
O secretário ressaltou que este é um marco para o desenvolvimento e a partir de agora serão realizadas campanhas para que o serviço seja utilizado. “A atividade, além da parte econômica, impacta nas áreas de turismo e lazer. Bagé fica interligado com o restante do mundo”, comenta.
Bayard enfatiza que a aeronave é confortável, segura, estável, e ágil, além de oferecer um voo panorâmico. Para ele, é necessário criar o hábito de utilizar o serviço. “Estamos entre um grupo seleto de cidades que contam com esse tipo de voo. Isso é fundamental para o desenvolvimento”, comenta.


Rotina
No aeroporto, os funcionários da Infraero e terceirizados já estão no ritmo dos voos regulares. De acordo com o superintendente do terminal, Anilson Silveira Gonçalves, foram necessários alguns ajustes nas escalas dos funcionários, mas nada que mudasse muito a rotina. “Um aeroporto sem avião é o mesmo que uma rodoviária sem ônibus. É ótimo que seja utilizado e tenha movimento para que haja o desenvolvimento”, enfatiza.
Na avaliação de Gonçalves, é necessário que a comunidade abrace a ideia para que o serviço seja mantido. Ele comenta que em outras cidades, a exemplo de Pelotas, existem convênios com entidades comerciais, que auxiliam nas manutenção dos voos.


Voos regulares

O terminal bajeense operou voos regulares por mais de 18 anos. A pista possui 1,5 mil metros de comprimento, por 30 metros de largura. A estrutura passou por reformas em 2012. O aeroporto, que opera com 10 colaboradores e sete terceirizados nos setores de vigilância e limpeza, pode receber aeronaves de porte pequeno e médio, com até 70 passageiros.
As vendas de passagens só podem ser realizadas através do site da empresa Gol. Tecnicamente, o aeroporto está equipado para voos noturnos através do balizamento de pista e do farol de aeródromo. As demais operações são garantidas através da sala de navegação aérea, responsável pela orientação das aeronaves para pousos e decolagens. Conta, ainda, com gerador próprio de energia, sistema de radar VOR e estação meteorológica automática – EMS.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...