ANO: 25 | Nº: 6398

Airton Gusmão

redacaominuano@gmail.com
Pároco da Catedral
28/09/2019 Airton Gusmão (Opinião)

Com Maria, no caminho da Missão


"Nos santuários se pode observar como Maria reúne ao seu redor os filhos que, com grandes sacrifícios, vêm peregrinos para vê-la e deixar-se olhar por ela. Lá encontram a força de Deus para suportar os sofrimentos e as fadigas da vida" (A Alegria do Evangelho, Papa Francisco, nº 286).
Estar a caminho é a condição real do ser humano. Faz parte da essência da fé cristã o caráter provisório e inacabado da existência na terra. O peregrino sabe que a caminhada é, antes de tudo, uma realidade interior que tende ao absoluto. Na caminhada exterior, o ser humano quer encontrar a si mesmo.
Como cristãos peregrinamos a muitos santuários como lugares do encontro do ser humano com o mistério. Eles são espaços sagrados que permitem resgatar o diálogo salvífico entre Deus e as pessoas. São prontos-socorros espirituais que nos ajudam a encontrar razões para viver em meio às vicissitudes da vida e a nortear a busca de sentido para a existência humana.
Após o tempo de peregrinação da Imagem em toda a Diocese, bem como a realização da Novena, no Santuário, chegamos ao dia da 45ª Romaria de Nossa Senhora Conquistadora, neste último domingo do mês de setembro; tendo como tema inspirador: "Com Maria, no caminho da Missão".
Trazemos presente alguns trechos do Texto-Base para as Romarias da Província Eclesiástica de Pelotas que, falando de Maria como aquela bem-aventurada, porque acreditou, diz: "Ela é a mulher de fé, que vive e caminha na fé, e a sua excepcional peregrinação da fé representa um ponto de referência constante para a Igreja. Ela deixou-se conduzir pelo Espírito, por um itinerário de fé, rumo a uma vida e missão feita de serviço e fecundidade. Hoje, fixamos nela o olhar para que nos ajude a anunciar a todos a mensagem de salvação".
Falando de Maria como discípula missionária, o texto afirma que "perseverando junto aos apóstolos à espera do Espírito (At 1,13-14), ela cooperou com o nascimento da Igreja missionária, imprimindo-lhe um selo mariano que a identifica profundamente. Maria é a grande missionária, continuadora da missão de seu Filho e formadora de missionários".
Olhando para a Igreja, missionária por natureza, e Maria como discípula missionária, é importante também que os cristãos se sintam desafiados a este ser e agir missionário. Por isso, o texto-base assim descreve: "Em virtude do Batismo recebido, cada membro do Povo de Deus torna-se discípulo missionário (Mt 28,19). Cada um dos batizados, independentemente da função na Igreja e do grau de instrução de sua fé, é um sujeito ativo de evangelização. Cada cristão é missionário na medida em que se encontrou com o amor de Deus em Cristo Jesus".
Já em sintonia com o Mês Missionário Extraordinário, em outubro, com o tema: "Batizados e enviados: a Igreja de Cristo em missão no mundo", somos convocados pelo Papa Francisco a um despertar para a consciência da dimensão universal da missão e retomar com novo impulso a transformação missionária da vida e da pastoral.
Aprendamos que, ter Maria como mãe e missionária, é agir como ela. Assim como ela acolheu a Palavra de Deus que se fez carne em seu ventre, também nós cristãos, acolhamos o Evangelho de Jesus, sendo hoje comunidades eclesiais missionárias, a partir da Palavra, do Pão, da Caridade e da Ação Missionária.
Façamos a nossa parte. Sejamos alegres na esperança, fortes na tribulação, perseverantes na oração e solidários com os que sofrem. A Romaria de Nossa Senhora Conquistadora terá início, neste domingo, às 9 horas, com saída da procissão desde a Catedral São Sebastião, rumo ao Santuário, onde haverá a Missa Solene, às 10 horas. Um bom final de semana a todos e até uma próxima oportunidade!

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...