ANO: 25 | Nº: 6382
16/10/2019 Campo e Negócios

Bajeense, Gedeão Pereira recebe a medalha do Mérito Farroupilha

Foto: Gerson Raugust/Farsul/EspecialJM

"O direito de propriedade é inegociável", frisou presidente da Farsul, durante solenidade na segunda-feira
Presidente da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), o bajeense Gedeão Silveira Pereira foi agraciado, na segunda-feira, com a maior honraria concedida pela Assembleia Legislativa gaúcha, destinada a homenagear cidadãos que por motivos relevantes se tornam merecedores do reconhecimento parlamentar: a Medalha do Mérito Farroupilha.
Natural de Bagé, Gedeão é médico veterinário, formado pela Universidade Federal de Santa Maria, produtor rural, proprietário e administrador da Estância Santa Maria, com produção de pecuária de corte (raças Hereford e Polled Hereford) com manejo em pastagens de azevém, trevo e cornichão e agricultura de arroz, soja e sorgo, e florestamento de eucaliptos. Também é vice-presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e diretor de negócios internacionais da instituição. No currículo, ainda registra a atuação como diretor da Associação Brasileira de Criadores de Hereford e Braford e presidente da Associação e Sindicato Rural de Bagé por dois mandatos. Presidiu a Comissão de Assuntos Fundiários da Farsul, onde também foi vice-presidente por quatro mandatos. Foi presidente do Fórum Mercosul da Carne.
Após receber a medalha, em cerimônia no Salão Júlio de Castilhos, o homenageado fez questão de citar a presença de inúmeros amigos e conhecidos que estavam presentes, e declarou se sentir 'perplexo'. "Confesso que me perguntei: sou eu mesmo a receber esta medalha? Fiz por merecer? Tive que rememorar minha história de vida e de trabalho. Desde Bagé, quando iniciei no Sebrae/Senar, desenvolvendo tecnologias. Não existia a indústria rural no Brasil. Foi um atrevimento ter implementado a tecnologia de redução da idade de abate, para novilhos de 2 anos, da qual muito me orgulho de ter sido pioneiro, na Estância Santa Maria", mencionou. Pereira registrou ainda seu orgulho pelo produtor rural gaúcho. "Tenho muito respeito pela epopeia do nosso povo. Desenvolvemos a agricultura e a pecuária nesse país continental. No interior da Bahia, 80% dos produtores são gaúchos. Atravessamos 22 anos de um socialismo obscuro e continuamos produzindo. Hoje nossa produção é invejada e copiada no mundo inteiro", avaliou.
Ao longo de sua manifestação, Gedeão ressaltou o que chamou de 'calcanhar de Aquiles' dos produtores. "O direito de propriedade é inegociável, é a mola mestra do desenvolvimento dos povos. Foi isso que me trouxe para a Farsul. Ocupei a diretoria fundiária, uma das mais difíceis, onde lutamos diuturnamente contra a desapropriação para a reforma agrária. Foi uma luta. E temos lado: o lado da produção, da eficiência, do trabalho", sustentou ao afirmar que a medalha recebida só fez aumentar seu compromisso e sua responsabilidade para com seus 'concidadãos, com os produtores, com o povo do Rio Grande do Sul e do Brasil'.
A honraria, concedida pelo parlamento gaúcho, atendeu a proposta do presidente da Assembleia Legislativa do RS, Luís Augusto Lara (PTB). Em seu pronunciamento, ele falou sobre representatividade da indicação do líder sindical e da sua importância para o setor agropecuário. "Estamos homenageando mais do que o cidadão bajeense, um modelo de cidadão gaúcho", destacou ao completar: "Hoje homenageamos não apenas a agricultura, a pecuária, a produção rural: homenageamos um modelo de cidadão gaúcho. E dois aspectos devem estar presentes para ser merecedor da medalha – o lado pessoal, como homem e cidadão, e o lado profissional e de representatividade".

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...