ANO: 26 | Nº: 6541
16/10/2019 Segurança

Em Bagé, comandante regional da BM ressalta atuação e redução da criminalidade

Foto: Antônio Rocha

“Não existe possibilidade de greve ou de aquartelamento
“Não existe possibilidade de greve ou de aquartelamento", frisou sobre mobilização de servidores contrários a projeto do governo do Estado

Com foco nas operações Avante e Avante Rural, o comandante da Regional Fronteira Oeste, coronel Pedro Ricardo Burgel, relatou, ontem, durante agenda em Bagé, que a Brigada Militar tem registrado números positivos no que abrange a redução da criminalidade. Conforme o comandante, que veio à Rainha da Fronteira para conversar com autoridades e com a imprensa, além de vir receber um aporte da Justiça Federal, que doou R$ 10,6 mil para aquisição de tablets que serão utilizados pelos policiais militares, o planejamento estratégico está sendo de "muita eficácia" e tem contribuído para os "bons resultados".
“Os 22 municípios que fazem parte do Comando representam 23% do Estado e, nesta região, nosso embate principal é o furto abigeato e os crimes rurais, mas sempre cuidando os crimes mais violentos, como roubos, danos, furtos e arrombamentos”, contou.
Em quatro anos, segundo o coronel, os índices do programa Avante são muito satisfatórios e todos os índices estão em queda franca. “O programa RS Seguro é o mesmo que o Avante. A região já participa deste projeto e a integração é muito importante, os indicadores estão muito positivos. Com apenas algumas situações que aumentaram, mas já há um trabalho para prevenção”, argumentou.
Outro ponto apontado pelo comandante é quanto à recuperação de veículos furtados. “Temos um índice de 90% de recuperação na região do 6º Regimento de Polícia Montada. Isso é muito importante e representativo. Ou seja, temos a criminalidade, mas temos a resolução desse problema”, ressaltou. Burgel também falou sobre o efetivo local e sobre o aporte que veio com as transferências. “Tivemos alguns pedidos de transferência para a região. Tínhamos a expectativa de cerca de 80 policiais, mas foi menor que isso. Mas conseguimos aportar em alguns locais que faltava”, reconheceu.
Burgel comentou ainda que de todos os municípios da regional Fronteira Oeste, apenas cinco não têm serviço 24 horas. “Sendo que em outros temos o serviço 24 horas, com o pagamento de horas extras. Então temos o trabalho completo”, comparou.

Situação financeira

Em relação ao atraso salarial e também ao pacote lançado pelo Governo do Estado, o comandante ressalta que a conversa com os oficiais será para orientar os servidores quanto à manifestação e o trabalho. “Não existe possibilidade de greve ou de aquartelamento. Sabemos que a situação é crítica e este pacote será apresentado para as associações e sindicatos, mas o trabalho de segurança pública, principalmente da Brigada Militar, não sofrerá nenhuma alteração”, declarou.
O comandante, conforme declarou ao MINUANO, orienta os oficiais sobre como participar das manifestações. “Todo servidor tem direito de manifestar. Orientamos que o policial militar que deseja a participação nestes atos, vá sem o fardamento e sem estar armado. Essa será a orientação, além de não prejudicar a escala de serviço que não será alterada”, salientou.

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...