ANO: 26 | Nº: 6527

Airton Gusmão

redacaominuano@gmail.com
Pároco da Catedral
19/10/2019 Airton Gusmão (Opinião)

Uma riqueza para dar, comunicar, anunciar: eis o sentido da missão


"Em todos os batizados, desde o primeiro ao último, atua a força santificadora do Espírito que impele a evangelizar; cada membro do povo de Deus tornou-se discípulo missionário (Mt 28,29). Cada um dos batizados, independentemente da própria função na Igreja e do grau de instrução de sua fé, é um sujeito ativo de evangelização. Todos somos chamados a dar aos outros o testemunho explícito do amor salvífico do Senhor, que nos oferece a sua proximidade, a sua Palavra, a sua força, e dá sentido à nossa vida" (A alegria do Evangelho, nº 119-121).
Neste final de semana, dias 19 e 20, dentro do Mês Missionário Extraordinário, convocado pelo Papa Francisco, com o tema: "Batizados e enviados: a Igreja de Cristo em missão no mundo", celebramos o Dia Mundial das Missões e o dia em que acontece em toda a Igreja a Coleta Missionária.
Neste contexto missionário, trazemos algumas palavras do testemunho da jovem missionária leiga, Rita de Cássia, de nossa Diocese, que está em Moçambique, África, a partir do Projeto Igrejas Solidárias do Rio Grande do Sul: "A possibilidade de estar vivendo a um ano e 10 meses com o Povo Macua, no norte de Moçambique, reacende em mim continuamente o amor de Deus que se faz realidade no sim e na partilha do dia a dia. Uma experiência que mostra a face de Deus na presença dos irmãos e irmãs deste chão africano, que ainda clamam por justiça e igualdade diante da cultura de exploração e de morte que perpassa a vida por aqui" (Boletim Participação, mês de outubro, 2019, p. 03).
Por ocasião deste Dia Mundial das Missões, o Papa Francisco escreveu a sua mensagem para animar e despertar a consciência missionária de todos os batizados e batizadas. Neste sentido, ele diz que "como é importante ainda hoje, renovar o compromisso missionário da Igreja, potenciar evangelicamente a sua missão de anunciar e levar ao mundo a salvação de Jesus Cristo morto e ressuscitado".
Em sua mensagem recorda a origem e a responsabilidade do ser missionário, quando afirma que é preciso "reencontrar o sentido missionário da nossa adesão de fé a Jesus Cristo, fé recebida como dom gratuito no Batismo" e termos a consciência de que "o ato pelo qual somos feitos filhos de Deus, sempre é eclesial, nunca individual: da comunhão com Deus, Pai, Filho e Espírito Santo, nasce uma vida nova partilhada com muitos outros irmãos e irmãs".
Lembrando a celebração do centenário da Carta apostólica do Papa Bento XV, de 1919, que motiva a realização deste Mês Missionário Extraordinário, a mensagem continua convidando todos os batizados a serem missionários, quando assim se expressa: "Sê homem de Deus. Este mandato nos toca de perto. Eu sou sempre uma missão; tu és sempre uma missão; cada batizada e batizado é uma missão. Quem ama, põe-se em movimento, sente-se impelido para fora de si mesmo; é atraído e atrai; dá-se ao outro e tece relações que geram vida".
Falando da missão de ir ao encontro dos outros, próximo ou longe, como uma convocação para todos os batizados e batizadas, o Papa Francisco diz que "também hoje, a Igreja continua a necessitar de homens e mulheres que, em virtude do seu Batismo, respondam generosamente à chamada para sair de sua própria casa, da sua família, da sua pátria, da sua própria língua, da sua Igreja local. Assim a 'missão ad gentes', sempre necessária na Igreja, contribui de maneira fundamental para o processo permanente de conversão de todos os cristãos".
Façamos a nossa parte, sendo missionários, através da oração, da contribuição material e de gestos de ir ao encontro dos outros. Sejamos alegres na esperança, fortes na tribulação, perseverantes na oração e solidários com os que sofrem. Que Santa Dulce dos pobres, interceda por todos nós. Um bom final de semana a todos e até uma próxima oportunidade.

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...