ANO: 26 | Nº: 6527
22/10/2019 Fogo cruzado

TRE-RS determina cassação do mandato de Luís Augusto Lara

Foto: Marcelo Bertani

Presidente da Assembleia gaúcha, e Divaldo, Prefeito de Bagé, foram julgados por abuso de poder na eleição de 2018
Presidente da Assembleia gaúcha, e Divaldo, Prefeito de Bagé, foram julgados por abuso de poder na eleição de 2018
O Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul (TRE-RS) cassou, ontem, por maioria de votos (4 a 3) o mandato do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Luís Augusto Lara, do PTB, em ação ajuizada pelo Ministério Público Eleitoral, que argumentava no sentido do favorecimento pelo uso da máquina pública, nas eleições de 2018. O petebista também teve os direitos políticos cassados por oito anos.
A decisão do TRE-RS determina que os votos de Luís Augusto, contabilizados no pleito do ano passado, sejam transferidos para a coligação. O prefeito de Bagé, Divaldo Lara, do PTB, teve os direitos políticos cassados por oito anos. Os dois também foram condenados a pagar multas de R$ 60 mil. A decisão pela condenação teve quatro votos favoráveis e três contrários.
Na representação ao TRE-RS, o Ministério Público Eleitoral apresentou áudios de conversas via WhatsApp, interceptações telefônicas e depoimentos de testemunhas. Os procuradores também apresentaram, como prova, a antecipação do pagamento do 13ª salário, em setembro de 2018. A medida teria sido formalizada  um dia antes da realização de um jantar para arrecadar fundos à campanha de Lara.
As defesas devem aguardar a publicação do acórdão para apresentar recursos. A redação tentou contato com Luís Augusto e Divaldo, mas não obteve retorno, até o fechamento desta edição. A reportagem publicará as manifestações de ambos assim que obtiver resposta.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...