ANO: 26 | Nº: 6590
05/11/2019 Cidade

Prefeituras de Bagé e Candiota contabilizam prejuízos com temporal

Foto: Divulgação

Estrada da Mistura – Baú foi destruída com o temporal (Candiota)
Estrada da Mistura – Baú foi destruída com o temporal (Candiota)

As prefeituras de Bagé e Candiota, que decretaram situação de emergência, na semana passada, devido às intempéries, estão contabilizando os prejuízos para solicitar apoio do Governo do Estado. Na Capital do Carvão, o laudo já foi concluído e o montante chega a pouco mais de R$ 1,6 milhão, em recursos, para a recuperação de estradas e pontes, além dos recursos próprios que o Executivo já empregando para a emergência. Na Rainha da Fronteira, a Defesa Civil está juntando os dados.

Conforme laudo apresentado pelo secretário de Obras e Serviços Públicos de Candiota, Artêmio Parcianello, cerca de 144,423 quilômetros de estradas terão que ser refeitos em sua totalidade e com urgência. O documento ainda informa que, no mês de outubro, choveu mais de 470 milímetros e a situação ficou ainda pior, pois as chuvas não escoaram e acabaram prejudicando as estradas do interior, provocando grandes erosões, deslocamento de cabeceiras de pontes, arrastando bueiros, desmoronamento de alguns trechos de estradas e assim impossibilitando a trafegabilidade em algumas localidades.

A situação também dificulta o acesso dos munícipes e produtores até o centro da cidade, tanto para trabalhar como para suas atividades diárias e possíveis emergências. Segundo Parcianello, boa parte das famílias afetadas na área rural são produtoras de leite e, por conseguinte, com a situação atual, não conseguem escoar a produção, acarretando assim na perda do produto, bem como da renda familiar. "Outra situação muito preocupante é o acesso das crianças até as escolas, tanto municipais, quanto estaduais, pois o transporte escolar não está conseguindo trafegar em várias localidades do Município", informou o laudo.

Atingidos

Até agora, Bagé registrou 220 famílias afetadas com a chuva e a distribuição de lonas e telhas vem sendo desenvolvida para sanar os problemas de forma provisória. Conforme o coordenador da Defesa Civil, Ronaldo Rosa, a Emater emitiu um laudo no qual consta que 15 produtores do setor de hortifrutigranjeiros foram afetados com a perda econômica de R$ 120 mil. Na apicultura, 75 produtores foram atingidos com a perda de R$ 1,05 milhão e foram perdidos mais de 21 mil litros de leite, totalizando R$ 26.191,00.

Segundo Rosa, até amanhã devem ser concluídos os demais laudos das secretarias municipais, Departamento de Água, Arroios e Esgoto de Bagé (Daeb) e Bombeiros, para que sejam encaminhados os dados junto com o decreto da Situação de Emergência, para o Estado. "Vamos pedir cestas básicas para que sejam distribuídas nos locais mais afetados", relata.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...