ANO: 25 | Nº: 6386
06/11/2019 50 anos do Direito

Urcamp formando gerações

Foto: Jeferson Vainer/Especial JM

Marinho:
Marinho: " “O curso conta com professores gabaritados e preparados e a qualidade é refletida no desempenho dos profissionais formados"

Marcelo Marinho seguiu os passos do pai, Armando Rosa Marinho, na escolha da graduação e da universidade onde a carreira seria iniciada. Ambos formaram-se no curso de Direito da Urcamp. Atualmente, Marinho é o presidente da subseção de Bagé da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), em sua segunda gestão.
Ele relembra que iniciou o curso em 1988. Por motivos pessoais, afastou-se por um ano, mas retornou aos bancos acadêmicos e formou-se em 1995. Neste tempo, aprendeu a valorizar a importância regional que a Urcamp apresenta, já que abre espaço para a formação de profissionais que, de outra forma, poderiam não ter acesso ao Ensino Superior. “Sou egresso da Urcamp com muita honra. Por muitos anos, as pessoas que queriam cursar Direito tinham que sair da cidade e tentar uma vaga em outras universidades mais próximas, como Pelotas, Santa Maria, Rio Grande. Com a abertura desse curso aqui, a FUnBa possibilitou que uma grande gama de bajeenses permanecesse na cidade, estudasse aqui e, após a formatura, ingressasse no mercado da região”, detalha.
Além disso, destaca a importância do contexto social que a abertura do curso possibilitou, em um panorama que oferece os serviços gratuitos para a comunidade do Núcleo de Práticas Jurídicas, além de realização de eventos de peso, com grandes nomes do Direito que sempre fazem parte da programação da Semana Jurídica.
E a grande expressão e relevância do curso pode ser observada, segundo Marinho, com a entrega do selo OAB Recomenda em 2016, entregue pelo Conselho Federal da Ordem, após visita in loco e análise do curso. O reconhecimento é uma distinção entregue pela OAB Nacional aos cursos que se destacam pela qualidade.
Também aponta, como exemplo, o número expressivo de formados na instituição com aprovação no exame da Ordem, prova aplicada, anualmente, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), que notoriamente concentra altos índices de reprovação. “O curso de Direito conta com professores gabaritados e preparados, e essa qualidade é refletida no desempenho dos profissionais formados na Urcamp todos os anos”, destaca.
De sua própria jornada acadêmica, Marinho relembra algumas passagens marcantes como a “Gincana Jurídica”, uma competição de saberes com caráter beneficente . “Minha equipe era a Furto Famélico, lembro até hoje. Trago ótimas lembranças daquela época, fiz grandes amigos”, lembra ele.
E rememorando o passado, Marinho conta que a formatura foi, literalmente, batizada com sangue. “Quando nos formamos, não tinha empresa de aluguel de togas aqui, então, contratamos uma de fora da cidade. No dia da formatura, o ônibus onde vinha a equipe com as nossas encomendas virou e atrasou muito a nossa formatura. Quando chegaram, estava tudo sujo de pasto e sangue do acidente. Limpamos do jeito que deu e corremos para nos formar, atrasados”, conta.
Para finalizar, o presidente da subseção declara: “Vida longa ao curso de Direito. Que siga formando novos profissionais, das futuras gerações, capacitados para o mercado. Festejamos junto com a Urcamp”.

Selo
Em janeiro de 2016, o curso de Direito da Urcamp entrou para o seleto grupo que recebeu o selo OAB Recomenda, concedido pelo Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil. Dos 1,3 mil cursos de Direito que existiam à época, no País, apenas 10% foram reconhecidos com a condecoração e apenas oito no Rio Grande do Sul. O selo considera como critérios o índice de aprovação do curso no Exame da Ordem (a Urcamp obteve 100% de aprovação em 2015, muito acima da média nacional de 21%) e o conceito obtido no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes - Enade.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias do caderno

Carregando...