ANO: 25 | Nº: 6386
08/11/2019 Cidade

Cinejornal Urcamp Documenta faz cobertura da Feira do Livro pela primeira vez

Foto: Milena Saraiva/EspecialJM

Estudantes efetuam a acompanhamento diário da programação em formato de audiovisual
Estudantes efetuam a acompanhamento diário da programação em formato de audiovisual
por Sharon Maia e Milena Saraiva
Acadêmicas de Jornalismo da Urcamp


A 22º Feira do Livro de Bagé, que acontece de 6 a 10 de novembro, tem, nesta edição, um diferencial, a apresentação de cinejornais produzidos pelos acadêmicos do sexto semestre de Jornalismo da Urcamp. Durante os cinco dias de evento, os estudantes efetuam a cobertura diária da programação em formato de audiovisual, com exibições às 22h, no encerramento das atividades.
O projeto Cinejornal Urcamp Documenta é um complemento da disciplina de Cinema, pensado para oferecer atividades práticas aos alunos.
Segundo o coordenador do curso, Glauber Pereira, essa experiência incentiva um projeto cultural e ainda cria um laboratório de cinema e de comunicação em atividade real, em pleno cotidiano da cidade. "O Cinejornal é geralmente realizado no Festival Internacional de Cinema da Fronteira, mas pode ser adaptado para cobrir qualquer evento cultural" afirma.
O acadêmico do sexto semestre de Jornalismo, Tavisson Esteves, aprova a atividade: “É mais uma edição do cinejornal, onde, tradicionalmente, os alunos do curso desenvolvem a cobertura em formato de audiovisual com olhar artístico sobre o evento, assim como todos os anos é feito no festival de cinema”, revela. Segundo os participantes, esse projeto proporciona experiência e desenvolvimento na profissão. Esteves fala sobre como está sendo participar do Cinejornal em um novo ambiente: “É diferente, porque é um ambiente muito mais movimentado do que as edições realizadas em Santa Thereza”, comenta.  Para Vitória Severo, efetuar coberturas como essa, oferece aprendizado além do Jornalismo: “Acaba sendo muito divertido porque a gente pega um comentário e outro de um entrevistado e acaba conhecendo um pouquinho mais daquele projeto, daquela peça, daquela livraria. Eu adoro essa dinâmica que o Jornalismo tem de sair da sala de aula e vivenciar a real profissão”, salienta.
Rodrigo Kluwe, que atua na captação de imagens do evento, relata como é participar dos registros por trás das câmeras. “Realizar o trabalho de cinegrafista no cinejornal é um aprendizado muito grande de poder estar em contato real com os entrevistados. Correr atrás das imagens para poder representar através das lentes o evento de maneira real ou artística", declara.
O projeto Cinejornal Urcamp Documenta participa da Feira pela primeira vez, mas a  cobertura do Festival Internacional de Cinema da Fronteira acontece desde 2008, com o objetivo de incentivar a produção de audiovisual.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...