ANO: 25 | Nº: 6382
09/11/2019 Cidade

Educação Patrimonial entra em pauta na 22ª Feira do Livro

Foto: Tiago Rolim de Moura

Memorial do Patrono está disponível para visitação
Memorial do Patrono está disponível para visitação

A palestra ministrada pela historiadora Clarisse Ismério aos estudantes do 6º ano do Colégio Franciscano Espírito Santo, em junho deste ano, culminou com a apresentação de trabalhos com a temática de educação patrimonial na 22ª edição da Feira do Livro. Na manhã de sexta-feira, estudantes apresentaram o resultado de algumas das pesquisas fomentadas a partir da palestra no espaço de exposição do evento.

Professora de História da escola, Heloísa Luiz, explica que, desde o início deste ano letivo, desenvolve com os estudantes do 6º ano um projeto de educação patrimonial chamado “CFES – Passeio pela arquitetura histórica de Bagé”. Em junho, convidou Clarisse, que desenvolve pesquisas com esta temática, para palestrar aos alunos. E daquele encontro nasceram os projetos de pesquisa, organizados em cinco turmas da mesma série.

Cada um dos grupos escolheu um prédio para pesquisar. Para a apresentação na Feira, foram selecionados 10 trabalhos contando a história de prédios como a Catedral de São Sebastião, Museu Dom Diogo de Souza, Casa de Cultura Pedro Wayne, Centro Histórico Vila de Santa Thereza, Instituto Municipal de Belas Artes e Coreto, além do cemitério da Santa Casa de Caridade e o prédio próprio da escola Espírito Santo. “Antes do projeto, conhecia alguma coisa, mas soubemos dos detalhes a partir da pesquisa mais profunda”, explica a estudante Ana Laura Dias Dutra. A colega Laura Nunes Pereira Suñe complementa: “Aprendemos muito sobre a história de Bagé a partir da história dos prédios”.

Os pais de Laura, Luciane e Narciso Suñe, acompanharam, orgulhosos, a apresentação da filha: “O projeto é muito bom porque a criançada aprende, desde cedo, a conhecer e valorizar o patrimônio”, destaca o pai. Já a mãe, professora universitária, apontou que o projeto difunde conteúdos geralmente abordados de forma mais aprofundada no ensino superior: “Muitas vezes, as pesquisas ficam restritas à graduação e não são difundidas para a comunidade. Mas o projeto foi super acessível para as crianças, elas apresentaram realmente entendendo do que estavam falando”, aponta.

Autora do livro “Pequenos Detalhes de Bagé”, que deu suporte à pesquisa, a coordenadora do curso de História da Urcamp, Clarisse Ismério, comemorou o resultado do incentivo dado aos estudantes no projeto: “Chega um momento que precisamos mostrar o trabalho que desenvolvemos, que ele sai do ambiente acadêmico”, diz. Também apresentaram trabalho Isadora Bastos dos Santos, Eduarda Fernandes, Mariah Colares, Erika Miuke de Valério, Ramiro Nicoloso, Nicolas Castelo, Letícia Jacinto e Ana Luiza Blanco.

Homenagem ao patrono

A Urcamp, através do Museu Dom Diogo de Souza, montou um memorial sobre a vida do patrono desta edição, João Bosco Abero, falecido no dia 31 de outubro. O material, disponibilizado no Espaço do Patrono, é composto por seis painéis que relembram, através de fotos e escritos, diversas passagens da vida do escritor como em família, na política e no meio cultural.

Sábado de lançamentos

O livro “A grama era verde”, do professor do Curso de Direito da Urcamp e colunista do Jornal Minuano, João L. Roschildt, estará à disposição na seção de relançamentos na 22ª Feira do Livro de Bagé, neste sábado, das 19h30min às 21h. A obra reúne textos sobre educação, política, decadência cultural e outros temas importantes para as reflexões sobre a contemporaneidade e já vendeu mais de 200 exemplares desde seu lançamento.

Além dele, também relançam obras os autores Fernando Risch, Chico Botelho, Cristiano Barbosa, além do lançamento dos livros “Aventuras do Gostosão”, dos Supermercados Nicolini, além de Severino Rudes Moreira.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...