ANO: 25 | Nº: 6403
11/11/2019 Fogo cruzado

Fabrício Moraes assume coordenadoria regional do MDB

Foto: Divulgação

Vereador candiotense adianta metas assumidas à frente da coordenação
Vereador candiotense adianta metas assumidas à frente da coordenação

Eleito para a presidência da coordenadoria regional do MDB, no sábado, em chapa de consenso, o vereador de Candiota, Fabrício Moraes (Bibi), 26 anos, projeta a ampliação da representatividade emedebista nos legislativos municipais da região Sudoeste. O desafio é superar a marca atual, de 15 vereadores. O novo presidente adianta a intenção de definir nome para a disputa de mandato de deputado e articular candidaturas majoritárias para o maior número possível de prefeituras. O mapa de coordenação, aliás, também pode ser alterado.
Moraes, que substitui José Carlos Nobre (Zequinha) na coordenadoria, após dois mandatos consecutivos, é uma das principais lideranças jovens do partido na região. O emedebista disputou seu primeiro pleito em 2012, aos 19 anos. Na suplência da bancada, chegou a assumir cadeira na Câmara, em janeiro de 2015. Nas eleições de 2016, garantiu seu primeiro mandato, contabilizando o maior volume de votos na corrida para o Legislativo candiotense.


Representatividade

Na organização estabelecida pelo MDB, a região Sudoeste abrange os municípios de Aceguá, Bagé, Caçapava do Sul, Candiota, Dom Pedrito, Hulha Negra, Lavras do Sul e Santana do Livramento, totalizando pouco mais de 242 mil eleitores. A criação do diretório de Hulha Negra, única cidade sem representação do partido na área de atuação do novo coordenador, é apontada como prioridade de gestão. “Na emancipação da cidade, tivemos até candidato. Rearticular o MDB no município é uma das metas”, reforça.


Nova configuração
O planejamento de Moraes ainda reserva espaço para a discussão, com a executiva estadual, de uma proposta de reconfiguração que pode envolver três coordenadorias. A intenção é acolher as cidades de Pinheiro Machado e Pedras Altas, que hoje integram a coordenadoria da Zona Sul, na região de Pelotas, e avaliar a possibilidade de transferir Santana do Livramento para a coordenadoria da Fronteira Oeste, na região de Alegrete. “Já conversei com representações de Pinheiro, Pedras Altas e de Livramento. Mas vamos refazer as conversas, para saber o que as lideranças pensam hoje”, destaca.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...