ANO: 26 | Nº: 6495
15/11/2019 Cidade

Ato marcará os três anos de mobilização contra mineração no Rio Camaquã

Foto: Divulgação

Local foi preparado para o ato
Local foi preparado para o ato
A partir desta sexta-feira, a Associação para Grandeza e União de Palmas (Agrupa), UPP Camaquã e Associação Gaúcha de Montanhismo realizam o primeiro Festival Agrupa Climb, que marca os três anos de mobilização contra o projeto de mineração no Rio Camaquã, em Caçapava do Sul. O ato oficial ocorre no sábado, a partir das 16h, no Corredor da Lexiguana, no Distrito de Palmas.
Conforme uma das integrantes do Agrupa, Márcia Colares, a programação desta sexta-feira vai das 8h às 18h, com atividades realizadas pelos montanhistas na Casa de Pedra. Para às 19h, está prevista a exibição do documentário “Dossiê Viventes: o Pampa viverá”. O ato denominado “Mineração Aqui Não”, marcado para sábado, por sua vez, deve contar com participantes de vários cidades do Estado.
Márcia ressalta que, durante o ato, haverá palestra, apresentações artísticas, ‘contação de causos’ exposição, além de um jantar. O evento será realizado na propriedade da Vera Colares, pouco antes da Casa de Pedra, e haverá camping com água, luz elétrica e o bar da Agrupa.
A primeira ação de mobilização do grupo contra o empreendimento da então Votorantim Metais e da Mineração Iamgold, ocorreu em 6 de novembro de 2016. O encontro ocorreu em uma propriedade rural às margens do Rio Camaquã e contou com 430 pessoas, entre elas produtores rurais, políticos, representantes de entidades e estudantes. Após o encontro, o movimento cresceu e conquistou mais o apoio de políticos de toda a região, além de artistas. O grupo luta contra a mineração de metais no Rio Camaquã, como zinco, cobre e chumbo.

 

 

 

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...