ANO: 26 | Nº: 6491
20/11/2019 Opinião

A importância da teoria na construção de um currículo por competências para o Curso de História

Foto: Arquivo pessoal

Como todos já sabem, a História é uma das Ciências Humanas cujo caráter investigativo permite estudar as transformações da sociedade, as ações realizadas por vários grupos humanos no tempo e no espaço. Permitindo refletir o presente através dos processos e transformações do passado.
E o historiador não é um mero narrador das datas e fatos do passado, mas o responsável pela construção do saber histórico pautado pela análise do objeto de estudo, expresso nas fontes e interpretado segundo teorias pertinentes.
A teoria é a amalgama que une os fragmentos históricos possibilitando "que o historiador estabeleça relações de seu objeto com a sociedade a ser analisada, saindo do estágio inicial de mera descrição do objeto, sendo assim é possível que ele conheça o que está por trás das meras aparências" (CANABARRO, 2008).
E essa proposta reflexiva propiciou a construção do currículo por competências do Curso de História da Urcamp. O resultado foi um currículo diferenciado composto de forma interdisciplinar, alicerçado nas grandes correntes teóricas históricas e cujas propostas temáticas estruturam-se a partir da longa duração de Fernand Braudel.
A matriz curricular estrutura-se em módulos flexíveis que atendem as necessidades para a formação do futuro historiador, pois oferece o desenvolvimento das seguintes competências: Percepção e produção do conhecimento histórico; Construção profissional e atuação do professor historiador; Reflexões e perspectivas do processo civilizatório sob a ótica do historiador; Educação, Cultura e Tecnologia no processo de formação do historiador; Educação, preservação e gestão patrimonial; e Formação do poder e das identidades sob a perspectiva historiográfica. Cada módulo possui um Projeto Integrador, uma aplicação prática dos conteúdos, cuja base teórica é alicerçada nas componentes curriculares que o compõem.
A estrutura foi organizada visando contemplar a interdisciplinaridade temática, desenvolvidas através da alternância do tempo diacrônico (cronológico e linear) e sincrônico (simultâneos e descontínuo). Dessa forma busca-se estabelecer um ensino pautado nas metodologias ativas e no protagonismo dos acadêmicos, tendo como objetivo a formação de um profissional um profissional autônomo, crítico, ético e criativo apto para atuar no ensino, na pesquisa e na preservação do patrimônio cultural.
É uma proposta diferenciada que busca aliar teoria e prática, para atender as demandas do mercado e o novo perfil do acadêmico. A História, enquanto processo de pesquisa e ensino, adapta-se de perfeitamente às novas tendências preconizadas pela educação no ensino superior, uma vez que ela se caracteriza como a ciência do tempo e da criatividade.


por Clarisse Ismério
Doutora em História do Brasil
Coordenadora do Curso de História da Urcamp
clarisseismerio@urcamp.edu.br

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...