ANO: 26 | Nº: 6577

José Artur Maruri

josearturmaruri@hotmail.com
Colaborador da União Espírita Bajeense bagespirita.blogspot.com.br
23/11/2019 José Artur Maruri (Opinião)

Uma organização educativa no mundo espiritual

A morte do corpo não é o fim, muito pelo contrário. Após o desprendimento material, nosso Espírito amadurece, procura e aprende. Uma aprendizagem que precisa de tempo, não o tempo em horas, dias, ou anos, mas o tempo do entendimento, da reflexão e do esclarecimento.
O Irmão Jacob, na obra literária "Voltei", através da mão de Chico Xavier, nos traz a este tempo, sua passagem, suas etapas, mostrando que a vida prossegue e que o Espírito cresce e se revigora.
Em um belo trecho de sua obra, o Irmão Jacob nos apresenta uma organização educativa no mundo espiritual.
Oportuna lição, a fim de que entendamos, ainda hoje, que a educação é a alternativa para o progresso da humanidade, segundo os Espíritos.
Vejamos o relato do Irmão Jacob:
"O que eu via, no parque ditoso, não era somente a expressão encantadora e pacífica da Natureza.
O interesse nos serviços do progresso geral mostrava-se inequívoco em todos os rostos.
A instituição a que minha filha presta concurso ativo impressionou-me pela grandeza. Trata-se de uma universidade que ultrapassa em programa e organização qualquer dos institutos europeus ou americanos destinados à formação e ao burilamento do caráter infanto-juvenil.
Os edifícios centrais congregam-se inteligentemente sob velhas árvores, rodeadas de fontes translúcidas.
As crianças não encontrariam paraíso mais doce. Alguns irmãos e numerosas irmãs as orientam e educam com singular devotamento, preparando-as para a reencarnação na Crosta Planetária.
Penetrei o instituto, em companhia de Marta e do amigo Andrade, quando centenas de meninos brincavam felizes, em bando, nos extensos jardins.
Grande parte correu ao nosso encontro. Abraçaram minha filha efusivamente e alguns me beijaram as mãos, chamando-me vovô.
Aquelas manifestações de alegria pura fizeram-me infinito bem.
Diversos pequeninos traziam consigo formosos halos brilhantes.
Marta explicou-me que a instituição asila irmãozinhos desencarnados entre sete e doze anos de idade, e, porque eu indagasse pelas crianças tenras, esclareceu Andrade que, para essas, quando se não trata de entidades excepcionalmente evoluídas, inacessíveis ao choque biológico da reencarnação, há lugares adequados, onde o tempo e o repouso lhes favorecem o despertar, a fim de que lhes não sobrevenham abalos nocivos.
Informou-me a filha de que as criancinhas não obstante viverem ali, em comunidade, dividem-se, no esforço educativo, por turmas afins. Caracterizam-se os grupos por variados graus de elevação espiritual e as classes se subdividem pelas aptidões e tendências, examinados os precedentes de cada uma.
(...) Experimentei, porém, a maior surpresa quando me deu a conhecer a assembleia dos meninos-orientadores. São meninos e meninas de passado mais respeitável e por isso mesmo mais acessíveis aos ensinamentos edificantes da instituição. Demoram-se no parte, às vezes muito tempo, aguardando circunstâncias favoráveis à execução dos projetos de ordem superior e, enquanto permanecem aí, desempenham valiosas missões, junto a crianças e adultos, entre as duas esferas, além das tarefas usuais de que se incumbem na própria organização em que se mantêm estacionados. Constituem, assim, vasta coletividade de escoteiros do heroísmo espiritual, junto dos quais encontramos inapreciável estímulo e santo exemplo".

(Referências: Voltei. Pelo Espírito Irmão Jacob em psicografia de Francisco Cândido Xavier. FEB Editora, 1949. p. 106-108)

José Artur M. Maruri dos Santos
Colaborador da União Espírita Bajeense
bagespirita.blogspot.com
josearturmaruri@hotmail.com

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...