ANO: 25 | Nº: 6398
02/12/2019 Segurança

Bagé se despede da voz de Dica

Foto: Arquivo pessoal

Cantora era comparada a Alcione
Cantora era comparada a Alcione
Com uma trajetória marcante na comunidade, principalmente quando se refere à voz feminina no samba, Magda Alvarina Oliveira Leite, a “Dica”, como era conhecida popularmente, se despediu, neste final de semana, dos bajeenses. Vítima de um AVC, a cantora, reconhecida pelas participações no grupo Mesa de Bar, e por cantar nas dependências do Grêmio Esportivo Bagé, foi sepultada na tarde de sábado, no cemitério José de Arimateia. Sua trajetória ficará eternizada na vida com quem a conviveu.
Autodidata, Dica deu os primeiros passos na música ainda na infância. No canto, iniciou com o propósito de “brincar” ao tentar imitar a voz da Alcione. Sua história foi narrada em reportagem publicada pelo Jornal MINUANO, assinada pela repórter Jaqueline Muza, no dia 26 de janeiro de 2015. Durante a entrevista, Dica contou com que os primeiros acordes e cantos que entoou foram com o irmão João Paiva de Oliveira, aos 12 anos. Nascida e criada em Bagé, recebeu três convites para cantar em bandas de fora, mas, em virtude da pouca idade, recusou-os.
Devido ao fato de adaptar sua voz à cantora Alcione, muitas pessoas se referiam a ela como a “Marrom de Bagé”. O fato era que a semelhança na voz e nos acordes que alcançava era inconfundível. Conforme a reportagem, Dica acumula passagem por vários blocos carnavalescos e escolas de samba, no que se refere a interpretação de enredos históricos. Com 12 anos, além de cantar com o irmão, no Guarany Futebol Clube, ainda teve a responsabilidade de puxar o bloco Ibajé. Ela também participou de vários festivais de música no Militão e nos programas de auditório da Rádio Cultura.
Autodidata, Dica nunca estudou teoria. Tudo que aprendeu se deve aos intensos ensaios e ajuda do irmão. A carteira profissional conquistou com 18 anos, em Porto Alegre. “Quando cheguei lá disse que tinha somente samba no repertório e os avaliadores me fizeram cantar outros tipos de música. Mesmo assim, tirei 10 e fui aprovada”, destacou na reportagem da época. Outra experiência relatada no texto que Dica se orgulhava foi ter gravado três músicas gospel para um CD produzido por Ivoncléo Monteiro.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...