ANO: 26 | Nº: 6523

Viviane Becker

viviminuano@hotmail.com
Colunista social do Jornal Minuano, Viviane Becker é experiente jornalista de geral e conhecida editora do caderno de variedades Ellas.
06/12/2019 Caderno Ellas

Que não seja tempo perdido!

Foto: Reprodução JM

Adriana Di Lorenzo
Psicóloga e psicoterapeuta psicanalítica
adridilorenzo@uol.com.br

 

Sempre que o final de ano se aproxima, percebo que Renato Russo tinha razão: acordamos e não temos mais o tempo que passou. Não temos mais todo o tempo do mundo. E, a cada ano, essa sensação, acredito, parece mais forte. É o que também dizem por aí.

Nessa época do ano, ficamos mais melancólicos e mais reflexivos. Olhar para trás é inevitável. O que fiz em 2019? Minha vida fez sentido? Tudo se realizou? Ou tudo se realizará? O Ano Novo torna-se poderoso e preferimos acreditar que ele trará mudanças. Que ele será muito melhor que o anterior. Que ele trará bons ventos, novos e bons tempos!

Para garantir que as expectativas do ano novo se concretizem, não há o que não haja! Recorremos a tudo! Tenho amigos que fazem listas. Imensas listas de resoluções para o Ano Novo, neste caso, para 2020. Os desejos se repetem - emagrecer, frequentar a academia, ter saúde, ter mais dinheiro, arranjar um emprego invejável, casar, separar, arranjar um crush e por aí vai. As lojas decoram suas vitrines com as cores do ano. Mas há aquelas cores tradicionais – branco para a paz e amarelo para o dinheiro.

A turma que vai para a praia sabe que, na véspera da virada, quem decide passar o réveillon por lá, precisa pular sete ondas no mar. Também recomendam que, após sair da água, você deve admirar o oceano e jamais deve virar de costas para o mar. Além disso, independente do lugar que você escolher para passar o último dia do ano, também é tradição chupar sementes de romã e comer sete frutas diferentes. Ah! E usar uma lingerie nova com a cor que irá atrair o que deseja.

Há os que seguem tudo a risca. Há outros que não. Mas tenho certeza que a lentilha, essa sim é a protagonista de todo e qualquer ano novo que se preze. Dizem que ela traz dinheiro. Muito dinheiro no bolso. E, de quebra, saúde para dar e vender. Se é verdade, eu não sei. Porém, na dúvida, prefiro comê-la.

Sempre que penso em lentilha, lembro-me do meu tio, zio Ciccio. Em português, tio Chico. Ele detestava lentilha. Aliás, tinha horror. Eu achava tudo aquilo muito engraçado. Como assim detestar lentilha? E o dinheiro no bolso? Contavam que, quando zio Ciccio ainda morava em Morano Calabro, sua cidade natal, localizada no Sul da Itália foi passar uma temporada, um mês, na casa de uma tia na montanha. E lá o que se comia diariamente era lentilha! Lentilha durante um mês. Tempos bem difíceis, segundo ele! Zio Ciccio ficou tão traumatizado que, desde então, nunca mais comeu lentilha! Nem no Ano Novo! Se dava dinheiro ou não dava, zio Ciccio não estava nem aí. Ele não comia e pronto!

Histórias a parte a questão é que um novo ano está chegando: 2020! Que nele, você possa dar mais sentido ao seu tempo. Não permita que ele seja perdido! Fique mais com sua família. Com seus amigos. Se preferir, fique sozinho, mais tempo com você mesmo. Otimize seu tempo. Use-o como achar melhor! Perdoe seus desafetos. Mantê-los não faz bem para a alma. Adoece! Perdoe a si mesmo! Aceite-se! Respeite seu tempo. Afinal, somos quem podemos ser. Contudo, se estiver tudo muito difícil, tenha coragem e procure ajuda.

Se você for para praia, pule as sete ondas. Se preferir, não pule. Se quiser, coma lentilha. Se não quiser, faça como zio Ciccio e não coma. Respeite sua história! Dê sentido a sua vida.

Para ganhar um Ano Novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo novo. Drummond já nos dizia que não seria fácil. Mas tente, experimente. Tenha coragem e esperança. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre! Acorde-o! Aproveite seu tempo! E tenha um maravilhoso Natal e Ano Novo!

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias do caderno

Outras edições

Carregando...