ANO: 25 | Nº: 6437

Viviane Becker

viviminuano@hotmail.com
Colunista social do Jornal Minuano, Viviane Becker é experiente jornalista de geral e conhecida editora do caderno de variedades Ellas.
06/12/2019 Caderno Ellas

Semeie o Bem e colha Luz

Foto: Arquivo pessoal

Roda de Deeksha ao redor do fogo, na Casa da Águia, no Rio de Janeiro
Roda de Deeksha ao redor do fogo, na Casa da Águia, no Rio de Janeiro

Coluna Ellas Fazem com amor

por Rosane Coutinho
Jornalista/fotógrafa


Cada vez é mais perceptível a necessidade do homem de se entender e, com isso, encontrar o seu lugar no mundo, a sua missão. Vivemos em tempos que o dia não é suficiente para as inúmeras obrigações que temos. A rotina já não tem mais o lugar reservado do lazer e diversão.

Mas é somente quando fazemos um inventário pessoal de nossas vidas que percebemos que é preciso mudar! É com enorme gratidão em  que apresento, na edição de hoje, Cláudia Paiva, a bajeense que, há quase três décadas, mora no Rio de Janeiro e que, eventualmente, vem passear na cidade e nos presenteia com a luz que ela tem.

 Atriz, publicitária, terapeuta de Thetahealing, reikiana e estudiosa das tradições nativas norte-americanas e etnia fulni-ô, ela afirma que, hoje, a sua essência é de quem busca cada vez mais se relacionar com tudo e todos, sempre com leveza, sabedoria e empatia. E para que isso seja possível, está em constante aprendizado. Para ela, a mente e o coração devem estar conectados. Acredita que todos temos vários dons e talentos, mas para isso é preciso saber sentir a intuição que vem do coração, pois a mente só realiza e executa os propósitos de vida que temos. E cita o seu próprio exemplo, pois o seu ideal do coração grita que deve fazer da melhor forma tudo o que se propõem a fazer.

 

A energia dourada

Claudinha, como é carinhosamente chamada é doadora de energia Deeksha, algo que ainda é muito recente, aqui na nossa cidade, mas que foi ancorada na Índia, na década de 80. Explica que a atuação é diretamente no sistema neurobiológico, que promove  equilíbrio aos neurotransmissores. “A Deeksha coloca as pessoas em contato com o seu sagrado. É uma energia de cura, como o Reiki por exemplo”, exemplifica.

Quando questionada sobre o Xamanismo, ela orienta que não se trata de religião, muito menos filosofia, e sim um modo de vida em conexão com tudo o que foi criado por Deus ou uma Fonte Criadora. “Existe desde o Paleolítico. Recebeu esse nome pelas tribos siberianas que chamavam de Samã a pessoa da tribo que consideravam em maior conexão com Deus, com maior sabedoria para cura. Não precisamos invocar nada, pois todos somos xamânicos, basta respeitar as leis naturais, as estações,  os animais, as plantas”, declara a mãe de Valentina

Perguntei para ela como acontece depois de anos, em uma rotina cada vez mais moderna e tecnologicamente avançada as pessoas retrocederem no tempo e buscar ensinamentos de um passado tão distante. E a resposta foi a melhor explicação, pois ela entende que se retrocede, pois se volta para a essência, com o único objetivo de buscar o que realmente importa. “Quando nos damos conta que o que traz paz é ser e não ter, fazemos o caminho de volta, para buscar a paz de espírito. Onde cada um vai buscar não importa, mas sim, que encontre".

Tive a oportunidade de fazer uma sessão, em 2018, de Thetahealing com essa gaúcha da Rainha da Fronteira e foi uma experiencia única, pois é uma  meditação de cura, como tantas que existem, só que com a diferença que trabalha em estado mental THETA, com uma frequência cerebral baixa, o que possibilita acessar o subconsciente para que se possa descobrir as crenças limitantes de cada pessoa. Lembro que na época me encantei e conversei com alguns amigos do meio holístico e nenhum deles ainda sabia do que se tratava, nem se quer haviam ouvido sobre esse acesso.

 

Rodas de cura, de amor e de saúde

Claudinha namora o também ator global Márcio Martins. Ao lado dele, realiza, a cada quinzena, uma roda de cura que fala sobre o fogo nas tradições nativas - a união entre o céu e a terra. Entre os cinco elementos: ar, terra, água, éter, o fogo é o que transmuta, uni, clareia e traz sabedoria. “Todos os povos nativos se reúnem em volta do fogo para passar suas tradições. O espírito do fogo tudo sabe, porque guarda os segredos de todos aqueles que se reúnem em volta dele. Por isso é tão importante pedir conselhos, insights, pois a fumaça, leva o recado para o sagrado maior”, revela.

A mãe de Théo, 14 anos, conta que na caminhada da vida ela percebe uma coletânea de aprendizados, não acredita no erro, mas sim em acertos e aprendizados. Ou como ela mesma diz nos cursos e rodas práticas que é facilitadora, 'não está ali para ensinar, e sim compartilhar e semear o que aprendeu'. Pois acredita que cada pessoa deve ser seu próprio mestre. “Uma incansável buscadora de uma vida cada vez mais leve! Essa sou eu, aprendo com o que me alegra e mais ainda com o que me desafia”, finaliza.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias do caderno

Outras edições

Carregando...