ANO: 26 | Nº: 9492

José Artur Maruri

josearturmaruri@hotmail.com
Colaborador da União Espírita Bajeense bagespirita.blogspot.com.br
07/12/2019 José Artur Maruri (Opinião)

A resignação espírita

Inevitavelmente, vez por outra, nos deparamos com situações de difícil solução, pelo menos, a curto e médio prazo, diante da convenção que estabelecemos sobre o tempo aqui na Terra.
Nesse sentido, quando isso ocorre o Espiritismo nos faz um apelo, diante dos exemplos do Mestre Jesus, à resignação. Diga-se de passagem, o maior, entre os exemplos do Rabi, foi seu próprio suplício diante da tortura e morte do corpo praticada pelas leis judaico-romanas de seu tempo. Mesmo assim, não podemos desconhecer que a própria política dos homens, muitas vezes inspiradas por irmãos que se encontram noutros planos, ainda, praticando a má política, nos levam a ter de vivenciar situações desastrosas, que vão se mostrar, numa primeira análise, irremediáveis.
Com relação à política dos homens, Judas Iscariotes, citado em publicações anteriores, em entrevista concedida ao Espírito Humberto de Campos na obra Crônicas de Além-Túmulo, em psicografia de Francisco Cândido Xavier, assim mencionou: "Acima dos corações, eu via a política, única arma com a qual poderia triunfar e Jesus não obteria nenhuma vitória. Com as suas teorias nunca poderia conquistar as rédeas do poder já que, no seu manto de pobre, se sentia possuído de um santo horror à propriedade. Planejei então uma revolta surda como se projeta hoje em dia na Terra a queda de um chefe de Estado".
Como resultado, Judas obteve apenas o remorso e o sofrimento. Vejamos o que ele mesmo referiu à Humberto de Campos, logo em seguida: "O remorso é uma força preliminar para os trabalhos reparadores. Depois da minha morte trágica submergi-me em séculos de sofrimento expiatório da minha falta. Sofri horrores nas perseguições infligidas em Roma aos adeptos da doutrina de Jesus e as minhas provas culminaram em uma fogueira inquisitorial, onde imitando o Mestre, fui traído, vendido e usurpado. Vítima da felonia e da traição deixei na Terra os derradeiros resquícios do meu crime, na Europa do século XV".
Como bem referiu um grande amigo e escritor espírita, Vinícius Lousada, "o que não é de Deus, não dura". Com isso, buscamos lições sobre a resignação e encontramos a insigne obra de Indalício Mendes publicada pela Federação Espírita Brasileira intitulada "Rumos Doutrinários": "Precisamos aprender a resignação evangélica, tão longe da passividade e do desânimo que marcam, geralmente, o raciocínio dos que não se de detêm no exame sereno de tão delicado problema da vida humana. A resignação consciente é uma modalidade de ação. O homem resigna-se em face do irremediável. Enquanto não se capacita de que tudo está consumado, deve lutar sadiamente pela recuperação de sua ovelha perdida. Mesmo a conformação em face do fato irremediável, sua atitude não deve ser de estéril desalento. É prova de perfeita identificação com os princípios espirítico-evangélicos, o cultivo da coragem em face das vicissitudes".
Dessa forma, o Espírito Lázaro (Paris, 1863) em "O Evangelho Segundo o Espiritismo" menciona que "a doutrina de jesus ensina, em todos os seus pontos, a obediência a resignação, duas virtudes companheiras da doçura e muito ativas. (...) A obediência é o consentimento da razão; a resignação é consentimento do coração, forças ativas ambas, porquanto carregam o fardo das provações, que a revolta insensata deixa cair".
Diante do irremediável, é importante a resignação para que raciocinemos e aceitemos o fato consumado, no entanto, devemos nos revestir do caráter ativo, reagindo. Mas, como?
Encaminhamos a resposta com o aconselhamento de Indalício Mendes: "Fortalecendo-se na prece e exemplificando as lições evangélicas, com o fito de superar a provação que lhe foi imposta pela lei cármica".

(Referências: Palavras do Infinito. Pelo Espírito Humberto de Campos em psicografia de Francisco Cândido Xavier. FEB Editora. p. 25. Rumos Doutrinários. Indalício Campos. FEB Editora. p. 36. )


Colaborador da União Espírita Bajeense

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...