ANO: 26 | Nº: 6576

Fernando Risch

fegrisch@gmail.com
Escritor
13/12/2019 Fernando Risch (Opinião)

Hoje é um novo dia

Prometi a mim mesmo que seria mais positivo. Minha esposa me cobra isso. Meus amigos me cobram isso. E como dizem os coachs, resolvi cambiar meu mindset neste final de ano. Afinal de contas, nada como um réveillon para nos tornarmos mais pragmáticos no positivismo aleatório e mais propensos a meias verdades dissimuladas.

Hoje é um novo dia, de um novo tempo, que começou. Que delícia. Estamos todos empolgados para mais um ano que está por vir. Que aventura gostosa foi este 2019. Só não foi mais suave que o saudoso 2018. Aquele ano sim, quase não tivemos conflitos. Paz, conciliações, fartura.

Fartura, que palavra. Não apenas uma palavra, uma realidade. Vivemos da fartura e na fartura. Não posso nem esperar para ver o que 2020 nos trará. É difícil bater os dois últimos anos, mas certamente seremos tão cordiais quanto, respeitaremos ao próximo e cada dia será uma nuvem de despreocupações.

Preocupação é palavra ruim, vamos afastar. Preocupação é algo que não temos. Temos um vento agradável correndo pelas ruas, pradarias verdejantes a nos banhar as vistas, ovelhas brancas como neve a desfilar no sol. Ah, como é bom viver tranquilo, assim como vivemos. Ainda bem mesmo que tudo mudou pra melhor. Mas não se preocupe, tem muito mais coisas boas vindo por aí.

É só o começo de uma nova era. Era de paz. Paz cordata, justa. Era de mesa farta, de cérebros iluminados, de sangue nas veias e cartuchos no pente. Como é bom viver assim, sob a tutela de figuras auspiciosas a nos trazer luz. Ah, o futuro. Mal posso esperar. Se tivessem me dito antes que seria tão bom, jamais esperaria tanto tempo pra já ir me acostumando.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...