ANO: 25 | Nº: 6485
13/12/2019 Cidade

Revolução Federalista é tema de obra que será lançada hoje à noite

Foto: Reprodução JM

Livro é assinado pela médica porto-alegrense Miriam Freitas
Livro é assinado pela médica porto-alegrense Miriam Freitas

A Leb Livraria e Cafeteria Bajeense sedia, hoje à noite, o lançamento da nova obra da escritora Miriam Freitas. O livro "Revolução Federalista" é o primeiro volume da série "Guerras da República". O romance é o terceiro da médica porto-alegrense, que já traz no currículo a antologia de poemas "30 anos esta noite" e o romance "Taipas & Toupeiras".
À reportagem do MINUANO, ela contou que a ideia do livro surgiu enquanto ainda residia em Portugal, onde sentiu necessidade de retornar ao 'pago gaúcho'. Nesta época, nutria interesse, de forma mais geral, por questões pertinentes à identidade brasileira com grande ênfase em assuntos relacionados à Revolução de 1893. "Decidi então voltar (da Europa) e escrever um romance histórico nesse contexto específico", explica.
Miriam aponta, também, que o segundo motivador para a obra pode ter relação com a função que exerce em outro campo de atuação, a psiquiatria. "Me interessa a relação entre o universo das ideias e a vida concreta, desde o campo coletivo, como ideias políticas, sociais ou simplesmente como elas atuam na esfera individual", diz.
A autora conta que considera "93 como uma situação absurda movida por uma ideia de República que, na prática, nunca se realizou a não ser em certos aspectos formais sem um conteúdo verdadeiramente republicano". Ela afirma, ainda, considerar que a única República autêntica que o Brasil conheceu foi a República de Piratini. "A outra não tem ido muito além de uma ideia de República, assim como hoje temos uma ideia de democracia representativa que nunca se efetiva numa representatividade verdadeira da sociedade. E tudo isso atribuo ao DNA da nossa República, que foi plasmado em 93", elucida.
Outro ponto destacado por Miriam é que a Revolução de 1893 foi 'um ângulo morto na apreciação da nacionalidade republicana'. "Isso precisa terminar porque sem 93 é impossível entender nosso país. Precisa ser entendido o que de fato ocorreu ali e como foi determinante não apenas para o Rio Grande do Sul, mas para o Brasil inteiro", ressalta.
Para quem quiser conhecer a obra e as ideias da autora, o livro será apresentado hoje, em noite de lançamento e autógrafos na LEB. O evento também será marcado por um debate sobre a Revolução de 1893, com a presença do historiador Jaime Barbosa Viviam Jr, integrante do Núcleo de Pesquisas Históricas Tarcísio Taborda (NPHTT), e a pesquisadora do assunto, Yara Maria Botelho Vieira.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...