ANO: 25 | Nº: 6458
14/12/2019 Cidade

Cpers conclama categoria para realizar grande ato no dia 17

Foto: Tiago Rolim de Moura

Acampamento da Resistência segue na Praça da Estação
Acampamento da Resistência segue na Praça da Estação
A greve dos professores do Estado, que completa um mês neste sábado, ainda não tem previsão para acabar. A paralisação, conclamada pelo Cpers sindicato, que representa os docentes, conta com a 746 paradas na totalidade e 793 afetadas parcialmente, segundo levantamento realizado pela entidade.
Conforme a diretora do 17º Núcleo do Cpers, em Bagé o movimento cresce a cada dia. Ela salienta que o Núcleo abrange 55 escolas na região, sendo 25 em Bagé. Dessas, a maioria aderiu à greve de forma parcial ou total. As maiores, a exemplo das escolas Justino da Costa Quintana, Silveira Martins, Arnaldo Faria e Frei Plácido, continuam com adesão total.
Segundo a diretora, o projeto do governo, que motiva a greve, deve ser votado no dia 17, um mês depois da apresentação do pacote de medidas à Assembleia Legislativa. “Neste dia faremos um grande ato na Praça da Matriz. Ou o projeto é votado ou o governador retira da pauta”, comenta.
Delcimar pede que, no dia 17, todas as escolas que ainda estão trabalhando, parem as atividades e fechem as portas para que, além de Porto Alegre, sejam realizados atos em todo o Estado. “O comando de greve estará na Praça da Estação, com o Acampamento da Resistência montado”, observa.
Até o momento, não houve negociação entre o Cpers-Sindicato e o governo do Estado. A entidade não aceita conversar sem a retirada dos projetos que mudam regras da categoria.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...