ANO: 25 | Nº: 6489
16/12/2019 Esportes

“Terei a honra de vestir a camisa do Guarany”, declara Fernandinho

Foto: Kauê Monteiro

Negociação se prolongou durante um mês
Negociação se prolongou durante um mês
O meia Fernandinho, 27 anos, está de saída do Bagé. E, confirmando as especulações de bastidores, o atleta assinou com o rival Guarany para a disputa da Divisão de Acesso de 2020. A negociação se prolongou por quase um mês, em virtude da identificação de Fernandinho com o Bagé, clube em que, entre idas e vindas, atuou durante 10 anos. No entanto, no final desta temporada, não houve acerto entre as partes e, de prontidão, foi procurado pelo alvirrubro. O acerto foi oficializado pelo Índio na tarde de ontem.

Andamento da negociação
Parte da articulação foi encaminhada pelo diretor de Futebol, Thiago Segredo. Foram várias conversas entre as partes. O boato de que Fernandinho mudaria de clube na cidade só aumentava nas ruas da Rainha da Fronteira. A diretoria jalde-negra nunca deixou a entender que o meia estava de saída. Ou seja, as negociações se estenderam exclusivamente nos bastidores, embora a repercussão já ganhasse forma. E isso ficou ainda mais evidente na coletiva de imprensa realizada pela diretoria do Guarany, na segunda-feira, quando o vice, Jorge Kaé, ao ser questionado sobre a contratação de Fernandinho, não declarou que havia uma conversa. Entretanto, disse que “todo bom jogador está nos planos, mas que teria se enquadrar na realidade do clube e querer botar a camisa”. Agora, a contratação virou realidade.

Jogador se manifesta sobre acerto
A troca de clube promete causar alvoroço no futebol bajeense. Ciente da situação, Fernandinho enviou, à reportagem do jornal MINUANO, uma nota oficial, em que traz detalhes tanto de sua saída do Bagé, quanto do acerto com o Guarany. A redação optou por publicar a posição do atleta na íntegra.

Nota oficial
"Dez anos vivendo sob as cores do Bagé. De cabeça erguida e consciente de que, em cada oportunidade que pisei no gramado vestindo a camiseta jalde-negra, dei o meu máximo. As alegrias foram imensas e neste momento só consigo agradecer pelas pessoas que conheci, pelas experiências que vivi e por essa instituição ter me lapidado enquanto atleta e homem.
Dizem que a vida é feita de ciclos. E que uma porta se fecha para que outra possa se abrir. É com esse pensamento que quero começar a minha despedida desse clube que fez parte da minha vida por 10 anos: o Grêmio Esportivo Bagé. Nesse tempo todo, vivi grandes momentos, mas também algumas decepções. Entretanto, quero me lembrar sempre das coisas boas, aquelas que permanecerão para sempre na minha lembrança.
Quero recordar sempre com muito carinho, aquele gol, que recolocou o Bagé hoje no lugar em que ele se encontra, a Divisão de Acesso, com a Pedra Moura lotada, em festa. Quero levar comigo, por onde eu for, grandes pessoas que fazem parte da vida desse clube, onde faço referência ao meu amigo e sempre presidente Ducos, a quem tenho a maior gratidão.
Quero agradecer também a todos aqueles torcedores, de todas as idades, que a cada jogo faziam, com o seu grito de incentivo, que eu corresse mais atrás dos nossos objetivos dentro de campo. Mas também quero me dirigir a eles para explicar o motivo da minha saída: o meu contrato com o clube encerrou no dia 30 de novembro deste ano. O Bagé foi eliminado da Copa Seu Verardi, em 31 de outubro. No dia seguinte, iniciaram as renovações e contratações dos atletas que farão parte do grupo em 2020.
Aguardei um posicionamento do clube sobre o interesse ou não de continuarem comigo no elenco. Até o presente momento não recebi um telefonema, a esse respeito. Pela mídia, vejo que o grupo está praticamente formado. Com o término do meu contrato e a necessidade de continuar minha carreira, não tinha mais como esperar um retorno do clube.
Hoje me despeço dessa torcida apaixonada e desse clube onde vivi as melhores coisas da vida. Foram 10 anos numa busca incansável pelos objetivos e aproximadamente 150 jogos com essa camiseta que não entorta apenas varais, mas também estádios.
Em razão disso, acabei aceitando um novo desafio. Em 2020, terei a honra de vestir uma das mais tradicionais camisetas deste Estado, a do Guarany de Bagé. Agradeço a toda diretoria que não mediu esforços para que um dia eu pudesse jogar neste clube. Contem comigo nessa caminhada, farei o meu melhor.
Torcida alvirrubra, vamos juntos atrás deste novo sonho: recolocar o Guarany na elite do futebol gaúcho e voltar a figurar entre os grandes”.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...