ANO: 25 | Nº: 6459
21/12/2019 Fogo cruzado

Divaldo Lara reassume Prefeitura de Bagé

Foto: Tiago Rolim de Moura

O prefeito de Bagé, Divaldo Lara, do PTB, retomou o cargo, na manhã de sexta-feira, 20, um dia após a decisão do desembargador do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS), Eduardo Uhlein, que cassou a determinação de afastamento do petebista. Antes de uma coletiva de imprensa, em que adiantou prioridades para o fechamento do ano orçamentário, o chefe do Executivo recebeu, do vice-prefeito, Manoel Machado, do PSL, uma espécie de prestação de contas. O liberal, que respondia pelo governo desde o dia 25 de setembro, afirmou estar feliz com o retorno. “Sempre disse que sou o vice-prefeito. E estarei ao teu lado para ajudar no que for preciso”, reiterou.
Divaldo foi recebido por apoiadores por volta das 9h, em um ato que interrompeu o trânsito na avenida General Osório. Sob gritos de apoio e ao som de foguetes, o petebista, emocionado, foi carregado nos braços à porta da prefeitura. Já em discurso na sacada do prédio, agradeceu à família, mencionando o processo que resultou em seu afastamento. “Fui acusado de coisas que nunca fiz na minha vida”, disse, ao salientar que não sentia saudade do poder. “Eu senti saudade de dar continuidade ao nosso trabalho” reforçou. À imprensa, durante coletiva, mencionou os adversários. “Nossos adversários não estão aqui. São grandes e históricos problemas que foram deixados para esse povo de muitos anos”, ilustrou.
Divaldo, que responde por ação de improbidade administrativa, ajuizada no decorrer da Operação Factótum, reverteu dois afastamentos do cargo, o primeiro formalizado em setembro, e o segundo e outubro. Machado, que comandou o Executivo neste período, explicou ao prefeito os critérios adotados para promover mudanças no quadro e no primeiro escalão, durante afastamento do petebista. “Tivemos que afastar CCs e RPAs. Este pessoal não foi afastado pelo Manoel Machado diretamente. Fizemos uma lista de 74 pessoas, que foi entregue para cada um dos secretários. Isso foi feito por conta de situação crítica da prefeitura”, garantiu, ao salientar que tomou todas as medidas pensando no governo.
Machado observou, ainda, que não demitiu secretários. “Os que saíram pediram afastamento ou foram afastados por decisão do partido, que não tínhamos como interferir. Então, os secretários foram substituídos”, mencionou, se referindo às mudanças nas secretarias municipais de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (SDI); de Gestão, Planejamento e Captação de Recursos (Geplan); de Meio Ambiente e Proteção ao Bioma Pampa (Semapa); de Economia, Finanças e Recursos Humanos; e Infraestrutura e Desenvolvimento Urbano (Seinfra), considerando que Ronaldo Hoesel decidiu assumir o mandato no Legislativo.

Balanço
O vice-prefeito atualizou o chefe do Executivo sobre projetos considerados estratégicos para o governo, a exemplo da obra da barragem da Arvorezinha, foco de uma agenda cumprida em Brasília. Machado também relatou os avanços registrados na consolidação das escolas cívico-militares.
O liberal destacou, ainda, que nunca deixou de considerar um pedido feito por Divaldo, no sentido de manter a unidade do governo. “Nós chegamos aqui juntos. Disse isso também sempre. Cheguei aqui junto com Divaldo. Jamais tomaria decisões radicais para prejudicar o governo ou o prefeito. Nunca fui traidor”, pontuou.

Prioridades
Ao final da coletiva concedida na sexta-feira, Divaldo adiantou a intenção de reunir o primeiro escalão, na sequência, para tomar conhecimento do fluxo de governo. O petebista esclareceu que a intenção era conhecer as principais ações e as metas estabelecidas para fechar o ano orçamentário. Antes mesmo de reunir com a pasta da Economia, Finanças e Recursos Humanos, para analisar as contas públicas, o prefeito adiantou prioridades.
A lista inclui o pagamento de entidades, as rescisões de terceirizadas e a limpeza urbana. “Vamos trabalhar forte em duas linhas de ação: o pagamento de entidades, fornecedores e o fechamento do ano conforme disponibilidade do fluxo de caixa da prefeitura”, reiterou. Uma reunião com vereadores também integra a agenda do prefeito, que não descarta a convocação de sessões extraordinárias.
Divaldo salientou que modificações imediatas no primeiro escalão não representam prioridades de gestão. “A equipe é muito competente. Os secretários também estão fazendo sua parte. A ideia é o governo se manter mobilizado para que as coisas aconteçam no tempo certo e com diálogo”, disse, ao revelar, porém, que algumas ‘peças estratégicas’ devem ser reintegradas.
Neste sábado, o governo deve realizar um mutirão de limpeza em bairros, praças e canteiros. Também deve ser realizada uma operação tapa buracos. Divaldo também revogou o decreto de ponto facultativo nos dias 24 e 31 de dezembro. Portanto, todos os setores da prefeitura funcionam normalmente nestas datas.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...