ANO: 25 | Nº: 6485
22/01/2020 Cidade

Consórcio Chimarrão recebe licença ambiental do Iphan para iniciar as obras

Foto: Arquivo JM

Linhas irão interligar Candiota a Guaíba
Linhas irão interligar Candiota a Guaíba

O Centro Nacional de Arqueologia, do Departamento de Patrimônio Material e Fiscalização do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), publicou, ontem, no Diário Oficial da União, a permissão, renovação e autorização para os arqueólogos coordenadores dos projetos das pesquisas arqueológicas da construção da linha de transmissão que ligará a subestação de Candiota 2 à subestação de Guaíba 3. A licença permite que os arqueólogos Fernando Alexandre Soltys, Elber Lima Glória e Jonathan Santos Caino realizem à destinação e à guarda do material coletado, assim como das ações de preservação e valorização dos remanescentes.

O empreendimento, que irá aumentar a disponibilidade de transmissão de energia no Rio Grande do Sul, será construído pelo Consórcio Chimarrão e deve garantir seis mil empregos diretos e indiretos, sendo 200 deles destinados à região da Campanha, com previsão de R$ 2,4 bilhões em investimentos nas estruturas de transmissão de energia no Estado.

O Consórcio é formado pela empresa espanhola Cymi Construções e Participações e pela Brasil Energia Fundo de Investimentos, da Brookfield. A obras devem iniciar nos próximos meses, com prazo limite de entrega até março de 2023. Candiota faz parte do grupo chamado “Escudo Rio-grandense”, que registra a maior linha de transmissão do grupo.

Na região de Candiota, devem ser geradas, aproximadamente, 200 vagas de emprego, diretas e indiretas, preenchidas a partir de processos seletivos e, eventualmente, contratos temporários.

Formação
A Eletrosul Centrais Elétricas foi vencedora do Lote A do Leilão de Transmissão realizado em 2014, pela Aneel. A partir disto, desenvolveu e avançou em etapas do projeto de engenharia e do licenciamento ambiental na Fundação Estadual de Proteção Ambiental Henrique Luiz Roessler (FEPAM), vinculada à Secretaria Estadual  do Meio Ambiente e Infraestrutura do Rio Grande do Sul.
Em 2018, foi declarada a caducidade da Concessão relativa ao Lote A da Eletrosul; assim, os empreendimentos foram divididos nos Lotes 10, 11, 12, 13 e 14, e fizeram parte do novo Leilão de Transmissão Aneel, realizado em dezembro do ano passado. Nessa ocasião, o Consórcio Chimarrão arrematou o Lote 10.
Após a homologação do resultado do leilão, foi criada a Chimarrão Transmissora de Energia S.A., que passou a ser concessionária de transmissão de energia elétrica, como transmissora, responsável pela implantação, operação e manutenção desses empreendimentos por um período mínimo de 30 anos consecutivos.

 

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...