ANO: 26 | Nº: 6590
11/02/2020 Segurança

Estado aponta redução de homicídios, em janeiro, no RS

Foto: Divulgação

Redução foi de 36,7% no comparativo com o ano passado
Redução foi de 36,7% no comparativo com o ano passado

Se em 2019 o Rio Grande do Sul teve os menores índices criminais da década, os dados do primeiro mês de 2020 não apenas consolidam esse resultado como também apontam que a redução de delitos se intensificou. O acompanhamento mensal da Secretaria da Segurança Pública (SSP) mostrou que o número de vítimas de homicídios no Estado em janeiro caiu 36,7%, de 229 no mesmo mês do ano anterior, para 145 – o menor total desde 2007, quando foram registrados 138 óbitos.

Em Bagé, a situação é diferente. Apesar de não ser um número muito elevado, ocorreram dois homicídios no mês de janeiro deste ano, sendo que, no ano passado, não havia sido registrada nenhuma morte violenta no mesmo período.

De acordo com o delegado regional da Polícia Civil, Luis Eduardo Benites, apesar dos números, Bagé, se comparado com outras cidades com o mesmo volume populacional e tamanho, está abaixo das estimativas. “Estamos com números muito satisfatórios, em relação a outros municípios e esperamos continuar assim, reduzindo cada vez mais”, explicou.

Em relação a outros crimes, o delegado enfatiza que é comum haver um decréscimo de crimes patrimoniais neste período. “Os criminosos acabam indo para os balneários, praias e então há uma diminuição em furtos, arrombamentos e roubos”, sustenta.

Em janeiro deste ano, apenas 35 dos 497 municípios do RS tiveram mais homicídios do que no mesmo mês do ano passado, sendo que em 25 deles houve uma vítima a mais, e nos outros houve duas mortes a mais. Em 402 cidades, foi registrada estabilidade no total de assassinatos, dos quais 392 mantiveram o índice zerado. Em 60 municípios, houve redução do número de homicídios na comparação de janeiro de 2020 e 2019.

Com a diminuição de 24,1% no acumulado de homicídios em relação a 2018 (569 vidas preservadas), o ano passado registrou taxa de 15,8 assassinatos para cada 100 mil habitantes no Rio Grande do Sul – a menor da década.

Feminicídios

Enquanto o primeiro mês de 2020 encerrou com motivos para o Rio Grande do Sul atestar a consolidação da queda na criminalidade em geral, no combate à violência contra mulher o cenário acende alerta pela necessidade de conscientização e engajamento dos gaúchos. O número de feminicídios no Estado, em janeiro, aumentou de três casos, em 2019, para 10 neste ano.

Entre as vítimas, apenas uma contava com medida protetiva concedida pelo Judiciário. Ou seja, na quase totalidade os casos só chegaram às autoridades quando ações preventivas já não eram mais possíveis. Entre os homicídios, a prisão de autores geralmente resulta na contenção de ocorrências futuras, uma vez que cerca de 80% dos envolvidos têm ligação com rivalidades entre grupos criminosos, em especial do tráfico de drogas. De outro lado, nos casos de feminicídio, embora o índice de resolutividade seja de mais de 90%, a prisão dos autores têm pouco efeito na proteção de novas vítimas, já que a motivação costuma ter vinculo exclusivo com a mulher alvo do ataque.

Apesar da alta significativa entre os feminicídios consumados, nos outros quatro indicadores de violência contra a mulher monitorados pela SSP o resultado foi positivo em janeiro, na comparação com o mesmo mês do ano passado. As tentativas de feminicídio no RS caíram de 44 para 32 (-27,3%), os estupros reduziram de 184 para 134 (-27,2%), as ameaças diminuíram de 3.765 para 3.359, e as ocorrências de lesão corporal passaram de 2.116 para 2.083 (-1,6%).

Na região, o delegado regional aponta que a violência contra a mulher obteve uma redução. “Tivemos um crime de feminícidio em Dom Pedrito, no ano de 2019, e este ano não há registros em nenhuma cidade da regional”, complementou.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...