ANO: 26 | Nº: 6590
19/02/2020 Segurança

Policiais da reserva poderão trabalhar em escolas cívico-militares

O vice-governador, Ranolfo Vieira Júnior, e o secretário da Educação, Faisal Karam, assinaram, segunda-feira, o termo de cooperação técnica que prevê a seleção de policiais militares da reserva para atividades de monitoria nas escolas cívico-militares da rede pública estadual. O projeto de Lei 15.401 é de autoria do deputado estadual Tenente-coronel Zucco. A inscrição para o processo seletivo segue até 21 de fevereiro.

“Não vemos problema em cultuarmos valores e disciplinas. Esta nova iniciativa na área da Educação tem todo apoio do governo do Estado. Espero que, daqui algum tempo, tenhamos motivo de sobra para nos orgulhar da implementação das escolas cívico-militares”, disse Ranolfo.

Karam enfatizou a importância de buscar alternativas pedagógicas que correspondam às expectativas da sociedade. “Nós já temos, no Rio Grande do Sul, uma parceria com a Brigada Militar que coloca as escolas Tiradentes entre os primeiros lugares do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb). Não tenho dúvida de que a escola cívico-militar será também uma grande ferramenta de transformação e qualificação da educação do nosso Estado”, afirmou.

Medida não atinge Bagé

Em Bagé, o processo é diferente, conforme informa a coordenadora das Escolas Cívico-Militares da Secretaria Municipal de Educação e Formação Profissional, Fernanda Furtado. Ela explica que essa parceria é para o modelo 1 do projeto. “Nós aderimos ao modelo 2; já temos profissionais da Brigada Militar, Bombeiros e Exército da reserva, contratados pelo município, diferente do modelo 1, que é a Secretaria da Defesa que fará a contratação dos monitores através dos estados”, contou.

Fernanda ainda salienta que, na Rainha da Fronteira, ao todo, são 10 monitores.

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...