ANO: 26 | Nº: 6590

Rochele Barbosa

rochelebarbosa@gmail.com
Jornalista formada pela Universidade da Região da Campanha. Responsável pela produção e reportagem do caderno de Saúde do Jornal MINUANO
09/03/2020 Caderno Minuano Saúde

Após o carnaval, a prevenção continua. Vamos falar sobre DST/IST

Foto: Reprodução JM

CAPA
CAPA

As Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) ou Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) são transmitidas, principalmente, através do contato sexual, sem o uso de camisinha, com uma pessoa que esteja infectada e, geralmente, se manifestam por meio de feridas, corrimentos, bolhas ou verrugas.
É no Carnaval que as campanhas de prevenção, tradicionalmente, se intensificam. Até o fim da festa, peças publicitárias governamentais dominam TVs, revistas e redes sociais, propagando o slogan "No carnaval, use camisinha - e viva essa grande festa!".
Apesar de o principal foco continuar sendo a prevenção de HIV/Aids, especialistas alertam para o risco de propagação de outras doenças, como HPV, herpes genital, gonorreia, hepatite B e C e, especialmente, sífilis.
Nesta edição, a ginecologista Ramaiana Duarte irá explicar como se prevenir em cada caso.


Saiba mais sobre cada doença

Ramaiana destaca que todas as doenças sexualmente transmissíveis podem ser evitadas com o uso do preservativo.
As úlceras genitais de causa infecciosa:
1) A SÍFILIS é uma doença sistêmica causada pelo Treponema Pallidum. Trata-se de uma lesão ulcerada, não dolorosa (ou pouco dolorosa), em geral única. Na mulher, dificilmente é detectada nessa fase, podendo passar despercebida. A lesão aparece entre 10 e 90 dias após o contato sexual, e usualmente desaparece em 30-90 dias, involuindo espontaneamente, sem deixar cicatrizes.
2) O CANCRO MOLE é causado pelo Haemophilus ducreyi e as lesões aparecem em 4-7 dias do contato. As úlceras são rasas, dolorosas, com secreção amarelo-esverdeado e facilmente sangram ao toque e são frequentemente múltiplas.
3) O HERPES SIMPLES é causado, na maioria das infecções herpéticas genitais, pelo herpes simplex tipo 2. O primeiro episódio da infecção é assintomático em 75% dos casos, no entanto, em alguns pacientes pode ocorrer forma importante de vulvovaginite. As lesões, localizam-se mais frequentemente nos pequenos lábios, no clitóris, nos grandes lábios, na fúrcula e no colo do útero. As lesões são inicialmente pápulas avermelhadas de 2-3mm, seguindo-se por vesículas (pequenas bolhas) agrupadas, que se rompem, dando origem a ulceração dolorosa que cicatriza em 2-3 semanas, independentemente do tratamento. São característicos o aumento de sensibilidade, coceira, queimação, dores musculares e “fisgadas” nas pernas, quadris e região anogenital.
4) A DONOVANOSE trata-se de uma úlcera genital causada pelo Klebsiella granulomatis, com período de incubação de um a 360 dias. As lesões que aparecem iniciam-se com pequenos nódulos indolores, na região genital, aumentam de tamanho, levando ao aparecimento de úlceras indolores, de aspecto vermelho vivo e de sangramento fácil. As lesões podem ser múltiplas, e persistirem por mais de 4 semanas.
Cervicites (inflamação do colo uterino):
1) A Clamydia trachomatis e a Neisseria gonorrhoeae (vulgo gonorréia) são responsáveis por 50% dos casos de cervicite. A presença de secreção amarelo-esverdeada e o sangramento do colo uterino durante a manipulação são indicativos de cervicite. A mulher apresenta queixa de corrimento, sangramento intermenstrual ou sangramento após relações sexuais. Além do desconforto que pode causar na mulher, a cervicite está relacionada a resultados adversos na gestação (abortamento, parto prematuro, ruptura prematura de membranas, perdas fetais, complicações neonatais), gestação ectópica, Doença Inflamatória Pélvica e infertilidade.
Condilomas genitais (verrugas):
Condiloma acuminado ou condiloma genital é a manifestação clínica do HPV (Papillomavírus humano) que acomete a vulva, períneo e colo uterino, podendo ocorrer também no ânus e reto, não necessariamente relacionado com o coito anal. Estima-se que 50-80% das mulheres serão infectadas em algum momento da sua vida pelo HPV, sendo considerada a Infeccção Sexualmente Transmissível mais frequente. O período de incubação varia entre 3 semanas a 18 meses, e a maioria das infecções tem resolução espontânea, em aproximadamente 2 anos. A infecção clínica caracteriza-se por lesões vegetativas vascularizadas, com múltiplas projeções papilares vulgarmente conhecido como “crista de galo”, e localizadas de preferência em regiões úmidas, na maioria das vezes assintomáticas, podendo ser acompanhadas de ardência e coceira.


Falamos hoje, sobre a descrição das principais lesões das DST/IST. E estamos abertos para discutir novos casos ou aprofundar sobre este assunto!
O tratamento das DST melhora a qualidade de vida do paciente e interrompe a cadeia de transmissão dessas doenças. Ao perceber lesão genital, procure seu ginecologista!

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...