ANO: 26 | Nº: 6590
10/03/2020 Fogo cruzado

Edson Brum assume Frente Parlamentar da Agropecuária

Foto: Vinicius Reis/Agência ALRS

Estiagem, frebre aftosa e crise do leite foram apontadas como prioridades pelo novo presidente
Estiagem, frebre aftosa e crise do leite foram apontadas como prioridades pelo novo presidente
O deputado Edson Brum (MDB) tomou posse, ontem, como novo presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária Gaúcha. O ato de posse aconteceu na sala da presidência do parlamento. O deputado emedebista assume no lugar de Rodrigo Lorenzoni (DEM), que deixou o Parlamento gaúcho no final de fevereiro, com o retorno de Ruy Irigaray.

O presidente Ernani Polo (PP) agradeceu o trabalho executado por Lorenzoni e enalteceu o conhecimento do setor pelo sucessor Edson Brum. Polo, acolhendo a sugestão do deputado federal Alceu Moreira (MDB), anunciou a criação do "Instituto Pensar Agropecuária" na Assembleia Legislativa. Ele também informou a formação do Colégio de ex presidentes da Assembleia, com o objetivo de ouvir opiniões e experiências sobre os problemas atuais. Sobre a situação dos produtores gaúchos penalizados com a seca que se prolonga desde o início do verão, o presidente da Assembleia resumiu em uma palavra: "desesperadora". Para ele, o Estado e a União devem ter várias linhas de ação, procurando atender desde a falta de água para consumo até a renegociação de dívidas.

Ao se despedir da presidência da Frente, o ex-deputado Rodrigo Lorenzoni (DEM) agradeceu o apoio do deputado Edson como vice-presidente. Lorenzoni lembrou as pautas trabalhadas pela Frente da Agropecuária em 2019. Ele destacou o debate a respeito da obtenção do status de zona livre de febre aftosa sem vacinação no Rio Grande do Sul e a busca pela agregação de inovação e tecnologia no campo.

Edson Brum (MDB) considerou que o Estado se movimenta a partir da terra. O parlamentar, citando o trabalho conjunto com a Comissão de Agricultura da Assembleia, avaliou que o momento da agricultura no RS é desafiador, referindo-se à crise hídrica que afeta o campo gaúcho. Brum, que já foi presidente da Comissão de Agricultura, admitiu que a falta de uma política de irrigação é um grande erro. Ele disse que com urgência o governo estadual e federal devem estender a mão para quem está sem água para o consumo humano, entre outras ações para minimizar os prejuízos dos produtores rurais. Além da estiagem, Brum elegeu os temas da febre aftosa e a crise do leite como destaques na pauta da Frente neste ano.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...