ANO: 26 | Nº: 6554

Padre Jair da Silva

pejairs@yahoo.com.br
Pároco da Catedral
14/03/2020 Padre Jair da Silva (Opinião)

A fonte que não se esgota

O texto da mulher samaritana, isto é, do encontro de Jesus com a samaritana frente ao poço de Jacó é uma das passagens bíblicas que talvez mais fale para os nossos dias. Estamos enfrentando um período de muita aridez. A falta da chuva está trazendo muitos problemas para nossa região. Esta aridez nos remete para uma outra. Vivemos um tempo de muita aridez interior. As vezes parece que secamos por dentro: secaram nossos afetos, nossas ideias, nossas forças e até mesmo nossos desejos estão como que apagados, enfraquecidos, sem vida.
A nossa aridez, portanto, pode ser consequência de um descuido nosso em relação à nossa própria fonte interior, ou de um descuido em relação à nossa espiritualidade, descuido revelado pelo próprio Deus ao denunciar: "Eles abandonaram a mim, fonte de água vida, e cavaram para si cisternas, cisternas furadas, que não podem conter água" (Jr 2,13).
Se estamos áridos em nossa fonte interior é porque, sem perceber, nós vamos permitindo que o mundo jogue um monte de entulho sobre ela e aí não conseguimos mais ter acesso. A resposta está dentro, mas não conseguimos entrar; a resposta está no fundo, mas não temos coragem de cavar. Nós nos habituamos com a superficialidade; nos habituamos a beber qualquer tipo de água para atenuar a nossa sede, ainda que ela continue clamando por Aquele que é fonte de água vida; como uma cisterna, nos contentamos em recolher algum pouco de água que o mundo nos oferece, mas esta água escoa rapidamente pelas brechas que estão abertas em nossa vida.
Assim como a samaritana, nós queremos encontrar, sem muito trabalho, uma água que sacie rapidamente a nossa sede; queremos que Deus nos dê respostas para as nossas perguntas, remédios para as nossas dores, cura para as nossas doenças, libertação para os nossos problemas. Mas somos incapazes de mudar nossos conceitos, nossas atitudes, a forma como vivemos. Não temos coragem de reconhecer que a nossa cisterna está rachada, que precisamos abandoná-la e nos voltar de verdade para o Deus vivo, o único que é Fonte de Água Viva, o único capaz de saciar a nossa sede mais profunda. É muito comum querer que a Igreja esteja sempre a nossa disposição, mas não movemos um dedo para colaborar, dificilmente entregamos o dízimo, raramente vamos perguntar se a comunidade está precisando algo.
Que precisamos permanentemente nos reabastecer, isso todo mundo sabe. A questão é em que fonte nós nos reabastecemos? Onde nós procuramos saciar a nossa sede? O mundo nos apresenta muitas fontes. Nós temos bebido de uma fonte que não sacia? A água que nós bebemos é suja, contaminada? A água da nossa fonte interior muitas vezes precisa ser descontaminada do veneno do nosso egoísmo, da nossa falta de fé, da nossa indiferença.
"Todo aquele que beber desta água terá sede de novo, mas quem beber da água que eu lhe darei, esse nunca mais terá sede. E a água que eu lhe der se tornará nele fonte de água, que jorra para a vida eterna". (Jo 4,13-14). Jesus nos convida a desobstruir a nossa fonte interior. Embora desejemos encontrar, sem muito trabalho, uma água que sacie rapidamente a nossa sede, respostas rápidas para as nossas perguntas, remédios de efeito imediato para as nossas dores, Jesus nos revela que a nossa fonte interior só pode ser desobstruída quando nos dispomos a corrigir aquilo que em nossa vida está em desacordo com a Palavra de Deus, em oposição à Sua verdade. O caminho é não nos fecharmos à ação do Espírito Santo. É a ação do Espírito Santo em nós que nos torna mais profundos, em busca da verdade, da verdadeira fonte, da fonte que jorra para vida eterna.


pejairs@yahoo.com.br
(55) 997051832

João 4:13,14

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...