ANO: 26 | Nº: 6590
29/03/2020 Fogo cruzado

Reabertura do comércio entra na pauta dos municípios da região

Foto: Reprodução JM

Hulha Negra reviu a intenção de permitir o funcionamento do comércio mediante adoção de medidas específicas, como o uso de luvas e máscaras
Hulha Negra reviu a intenção de permitir o funcionamento do comércio mediante adoção de medidas específicas, como o uso de luvas e máscaras

No centro da discussão sobre a flexibilização das medidas restritivas de circulação, adotadas para conter a disseminação do coronavírus (Covid-19), a liberação das atividades de comércio entrou na pauta das prefeituras da região durante o final de semana. Em Hulha Negra, mudanças no decreto de calamidade chegaram a ser anunciadas, no sábado, para viabilizar o funcionamento de empresas a partir de segunda-feira. Neste domingo, a prefeitura decidiu prorrogar as restrições que estavam em vigor. Em Dom Pedrito, as restrições também foram mantidas.
Hulha Negra reviu a intenção de permitir o funcionamento do comércio mediante adoção de medidas específicas, como o uso de luvas e máscaras. Somente padarias, instituições bancárias, postos de combustíveis, agropecuárias, supermercados e farmácias poderão funcionar. Empresas do setor de alimentação só podem funcionar com sistema de entrega  O toque de recolher, que inicia às 21h, também será mantido.
Lideranças de Dom Pedrito deliberam pela manutenção das restrições, durante reunião realizada no sábado. O prefeito Mário Augusto Gonçalves, do Progressistas, afirma que o município 'não está preparado para a reabertura total do comércio na segunda-feira'. “Não temos estrutura de saúde pública adequada para atendimento de muitos casos que necessitem de internação hospitalar, caso muitas pessoas sejam contaminadas nós próximos dias", justificou.
Nova reunião deve ser realizada na quinta-feira, para deliberar sobre data e condições para a reabertura do comércio de Dom Pedrito, que contabiliza um caso confirmado do Covid-19. Também ficou definido que os comerciantes receberão uma espécie de manual com as recomendações necessárias para o funcionamento de cada tipo de atividade, para não colocarem em risco clientes e colaboradores.


Famurs defende manutenção das restrições

Por meio de nota, emitida no domingo, a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) reiterou posicionamento pela manutenção do isolamento social como principal medida de enfrentamento ao Covid-19, 'em consonância às recentes orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde'. A recomendação da entidade se alinha à manifestação pública do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em entrevista coletiva concedida no sábado, em Brasília.
Na nota, a Famurs, que representa os 497 municípios gaúchos, destaca que 'concorda com o ministro, que flexibilizar as medidas restritivas de circulação, como liberação das atividades de comércio e retorno às aulas, é uma temeridade'. “Abrandar o isolamento social, neste momento, pode representar uma expansão acelerada do contágio, assim como pode, inevitavelmente, sobrecarregar o sistema de saúde pública de todo Brasil, ainda insuficiente para atender um surto da pandemia”, pontua o comunicado da Federação.

Atualizado às 18h50

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...