ANO: 26 | Nº: 6589

José Artur Maruri

josearturmaruri@hotmail.com
Colaborador da União Espírita Bajeense bagespirita.blogspot.com.br
31/03/2020 José Artur Maruri (Opinião)

A boca fala do que está cheio o coração


E não é que estamos vivendo os dias preditos: a nova era.
A Era de regeneração anunciada pelos Espíritos amigos que coordenaram o movimento de luzes advindas por intermédio e organização de Allan Kardec está aí.
Aliás, é importante referir que nunca se viu tantas ações de solidariedade e cooperação como agora.
No entanto, é preciso cautela.
Porque muitos são os que vão dizerem-se profetas em nome do Senhor. O próprio Cristo referiu: "Tende cuidado para que alguém não vos seduza; porque muitos virão em meu nome, dizendo: 'Eu sou o Cristo', e seduzirão a muitos" (Mateus, 24:4-5). "Guardai-vos dos falsos profetas que vêm ter convosco cobertos de peles de ovelha e que por dentro são lobos rapaces. Conhecê-los-eis pelos seus frutos". (Lucas 6:43)
Nos dias em que vivemos, onde as pessoas buscam lições nos mais variados meios, desde os impressos até os digitais, muitos serão os que se levantarão colocando-se na condição de profetas, ou seja, como esclarecido por Allan Kardec, profetas, no sentido evangélico, aqueles enviados de Deus com a missão de instruir os homens e de lhes revelar as coisas ocultas e os mistérios da vida espiritual. No entanto, pode, pois, um homem ser profeta, sem fazer predições.
E, atualmente, são muitos os que se colocam na condição de profetas e vão em contrariedade, inclusive, à ciência tradicional. Aliás, sobre isso, Allan Kardec também referiu que os fenômenos espíritas, longe de abonarem os falsos cristos e os falsos profetas, como muitos gostam de dizer, golpe mortal desferiu neles. Isso porque, o Espiritismo não opera prodígios nem milagres. Assim como a Física, a Química, a Astronomia, a Geologia revelaram as leis do mundo material, o Espiritismo revela outras leis desconhecidas, as que regem as relações do mundo corpóreo com o mundo espiritual, leis que, tanto quanto aquelas outras da Ciência, são Leis da Natureza.
O Espírito Luís, em Bordeaux, 1861, referiu:
"Se vos disserem: 'O Cristo está aqui', não vades; ao contrário, rende-vos em guarda, porquanto numerosos serão os falsos profetas. Não vedes que as folhas da figueira começam a branquear; não vedes os seus múltiplos rebentos aguardando a época da floração; e não vos disse o Cristo: 'Conhece-se a árvore pelo fruto?' Se, pois, são amargos os frutos, já sabeis que má é a árvore; se, porém, são doces e saudáveis, direis: "Nada que seja pura pode provir de fonte má".
"É assim, meus irmãos, que deveis julgar, são as obras que deveis examinar. Se os que se dizem investidos de poder divino revelam sinais de uma missão de natureza elevada, isto é, se possuem no mais alto grau as virtudes cristãs e eternas: a caridade, o amor, a indulgência, a bondade que concilia os corações; se, em apoio das palavras, apresentam os atos, podereis então dizer: estes são realmente enviados de Deus".
"Desconfiai, porém, das palavras melífluas, desconfiai dos escribas e dos fariseus que oram nas praças públicas, vestidos de longas túnicas. Desconfiai dos que pretendem ter o monopólio da verdade!"
Enfim, fiquemos com a lição de Luís – "desconfiai dos que pretendem ter o monopólio da verdade".
Afinal, como o próprio Cristo colocou, "o homem de bem tira boas coisas do bom tesouro do seu coração e o mau tira as más do mau tesouro do seu coração; porquanto, a boca fala do que esta cheio o coração" (Lucas, 6:43-45)

(Referências: KARDEC, Allan. O Evangelho segundo o espiritismo, Cap. 21)

José Artur M. Maruri dos Santos
Colaborador da S. Espírita León Denis e União Espírita Bajeense
josearturmaruri@hotmail.com

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...